CineSESC exibe Mostra Alemã, Cine África e filmes de Autoria Indígena

Mostra Alemã

Disponível na plataforma do Sesc Digital de 3 a 6 de outubro, “Transtorno Explosivo”, de Nora Fingscheidt, é o destaque da “Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!”. O filme conta a história de Benni, uma menina de 9 anos de difícil convívio, considerada uma destruidora de sistemas. Ela conhece Micha, um especialista em controle de raiva, que tenta ajudá-la. O filme venceu o Prêmio Alfred Bauer no Festival Internacional de Cinema de Berlim e o Prêmio de Melhor Filme do Júri na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. A classificação indicativa é de 14 anos.

Outra estreia da semana dentro da Mostra Alemã de Cinema é “Western”, da cineasta Valeska Grisebach, que fala sobre um grupo de trabalhadores alemães da construção civil, que inicia um trabalho difícil em um local remoto no interior da Bulgária. A terra estrangeira desperta o senso de aventura nos homens, mas eles também se deparam com os próprios preconceitos e desconfianças devido à barreira do idioma e às diferenças culturais. A classificação indicativa é de 12 anos. A “Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!” é uma realização do Consulado Geral da República Federal da Alemanha em parceria com o Sesc São Paulo e que neste ano comemora os 30 anos da Reunificação Alemã apresentando, de 3 de outubro a 13 de novembro, sete premiados títulos dirigidos por mulheres. Cada sábado, uma nova opção estará disponível gratuitamente e com legendas em português na plataforma Sesc Digital. Para assistir, basta acessar sescsp.org.br/cinemaemcasa.

Cine África

Nesta semana estreia também mais um título do projeto Cine África, que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia, Nigéria, Quênia, Senegal e Sudão: o documentário queniano “Lua Nova”, de Philippa Ndisi-Herrmann.  A cineasta embarca em uma espontânea jornada para entender os caminhos da sua própria fé. Nesse documentário, acompanhamos a diretora na descoberta de uma nova espiritualidade e no confronto às contradições e complexidades da religião que escolheu para si. O filme fica disponível de 1 a 7 de outubro, e a classificação indicativa é livre.

Autoria Indígena

Outras estreias da semana são “A’E MIMIU HAW – A História dos Cantos” e “ZAWXIPERKWER KAA – Guardiões da Floresta”, pelo Ciclo de Autoria Indígena. O documentário “A’E MIMIU HAW – A História dos Cantos”, dirigido por Jamilson Guajajara, Pollyana Guajajara, Jacilda Guajajara e Lemilda Guajajara, apresenta o cantor Tachico Guajajara, que compartilha a história de como o seu povo aprendeu os cantos sagrados que regem seus rituais e festas. Já “ZAWXIPERKWER KAA – Guardiões da Floresta”, de Jocy Guajajara e Milson Guajajara conta em primeira pessoa como é ser membro do grupo “Guardiões da Floresta”, na Terra Indígena Caru (MA), onde vivem. Como cineastas, documentam as atividades do grupo nas missões de vigilância e proteção do território indígena. Ambos ficam disponíveis até 2 de novembro e tem a classificação indicativa livre.

Pelo Ciclo de Autoria Indígena, a cada mês, um filme ou seleção de filmes entra em cartaz na plataforma do Sesc Digital – Cinema #EmCasaComSesc e fica disponível ao público pelo período de 30 dias. São produções que ampliam olhares sobre a diversidade cultural, por meio de um cinema que se realiza nas e com as florestas, os cerrados, a natureza, o território, a cosmologia. Os filmes resultam de um intenso processo de apropriação tecnológica contemporânea, a partir de matrizes culturais tradicionais que fazem do cinema um potente caminho para o fortalecimento cultural, fonte de expressão de diversas formas de ser e estar no mundo e de transmissão de saberes.

Informações sobre o evento

Datas e horários

01/10/2020–02/11/2020

Local

Consulte o(s) local(is) na descrição deste evento.

Ingressos

  • Grátis
Aviso: as informações do evento são de responsabilidade do organizador e podem sofrer alterações sem aviso prévio. Confirme antes de sair de casa.

Deixe uma resposta