O filho de Isa e Celso

CosanImigrantes italianos, os Ometto chegaram a Piracicaba em 1887. O primeiro foi Gerolamo. Que mandou buscar, na Itália, o irmão Antônio, casado com Caterina. E ela enviuvou em 1901, tornando-se responsável por numerosa família, todos colonos de um homem bom, grande e poderoso senhor de terras, Coronel Juca Barbosa, o Coronel Barbosa. Caterina trabalhou na roça, com a obstinação de quem viera ao Novo Mundo para vencer e fundar o futuro dos filhos. Em 1906, ela conseguiu comprar um lote de seis alqueires na Fazenda Água Santa, entre Piracicaba e Limeira. Caterina construiu um ranchinho e, nele e naquelas terras, começou a escrever a história de um império.

Não apenas o Brasil, mas o Mundo, volta, hoje, os olhos para o arrojo e a audácia de um homem que tem as suas raízes plantadas no sonho da matriarca Caterina Ometto, a mulher que começou a vida dedicando-se à lavoura primária, vendendo frutas e verduras em sua carrocinha. Este homem é Rubens Ometto Silveira Mello, continuador da grande saga dos Ometto – de Pedro Ometto, um dos “reis do açúcar” – e atravessa os continentes numa parceria monumental com a gigante Shell. Este homem é o nosso Rubinho, o segundo filho de Isa Ometto e do agrônomo Celso Silveira Mello, neto do todo poderoso e lendário Pedro Ometto.

Rubinho Ometto Silveira Mello e seu irmão mais velho, Celsinho, viram cair-lhe nos ombros, quando pouco mais que adolescentes, a imensa responsabilidade de substituir o pai, dr.Celso, líder da Usina Costa Pinto, um dos pilares do que seria a futura Cosan. Ainda moço, em 1970, Celso Silveira Mello faleceu, deixando a viúva Isa com a responsabilidade de comandar a família e, também, o império do açúcar e álcool que se expandia. Lembro-me da perplexidade e da coragem de Celsinho, que, deixando São Paulo, se tornou meu aluno na ECA – futura UNIMEP – diante de sua grande carga com a morte do pai. Muito jovem, Celsinho não refugou, ao mesmo tempo que Rubinho preparava-se para se transformar no homem politécnico, no grande comandante de empresas, um jovem que conquistou a confiança e a admiração de notáveis empresários da época, incluindo Antônio Ermírio de Moraes, de quem foi assessor e diretor financeiro.

Poucas famílias, creio eu, viveram a saga dos Ometto, em grandes conflitos, em disputas sem fim, mas com determinação para impedir que o império iniciado com Caterina Ometto se diluísse. A obstinação de Rubinho se revelou sólida e, após conflitos e disputas familiares, a harmonia voltou, sendo ele o comandante dos novos tempos da Cosan, numa expansão verdadeiramente espetacular, agora culminando com a “joint venture” com a Shell. O menino de Piracicaba, nosso Rubinho, tornou-se um dos maiores e mais arrojados empresários do Brasil, com uma dimensão global que entre nós não tem paralelo.

Empresário severo, rígido, racionalista, determinado em suas opções e escolhas, Rubinho, filho de Isa e Celso, compreendeu e aceitou o modelo empresarial dos tempos de economia globalizada. E adequou-se aos atuais, quase que pós-antigo-liberalismo, dos grandes conglomerados e das grandes fusões. Ficou longe, distante, a concepção de empresa familiar, aquela que está sempre sujeita a chuvas e trovoadas provocadas por e entre seus membros. Confesso que, para mim, não é esse o modelo de mundo e de economia de meus sonhos e esperanças. Mas não há como deixar de admirar e respeitar o trabalho de homens obstinados que vivem seus próprios ideais de produção e conseguem realizá-lo.

Em Piracicaba, a Cosan vive a herança de Caterina Ometto, umbilicalmente presa a essas raízes. No mundo, a Cosan caminha ao lado das grandes potências econômicas. Talvez, esse um século de lutas dos Ometto – da pequena roça a grande empresa de porte internacional – esteja inspirando o menino Rubinho, que ainda existe no grande empresário, a manter vivo o humanismo de seus ancestrais e da história de sua família. O fato é que o mundo começa a conhecer melhor o filho de Isa e de Celso, o piracicabano Rubinho Ometto Silveira Mello, o dr.Rubens da Cosan. Bom dia.

5 comentários

  1. Cesira Carlota Ometto Spinelli em 26/08/2016 às 14:38

    MH FAMILIA FEZ HISTORIA AQUI NO BRASIL!

  2. roberto souza em 06/10/2016 às 08:31

    se jugam certinhos,todo bonzinho,mas tratam seus funcionarios como escravos,paga um salario mediocre e so pensam em si proprio em enriquecimento explorando a mao de obra

    são todos um lixo,graças a Deus que existem a morte para que esses vermes também possa apodrecer

    • Cesira Carlota Ometto Spinelli em 31/01/2017 às 13:02

      Credo, Roberto! Sou Ometto mas nao faço parte disso

      • José Roberto Ometto em 15/02/2017 às 15:52

        Sou Ometto ,tataraneto de Girolamo, que foi a fagulha inicial, desta linda odisseia da Família Ometto, e muito me orgulho desta trajetória.Cada metro quadrado das terras dos Ometto foi construído com muito denodo,dor,trabalho,suor,e fundamentalmente amor a terra,a produção e a Família.

        José Roberto Ometto

  3. Estevao Lucena costa em 28/05/2017 às 23:32

    Tenho pouco tempo em Piracicaba, mais neste curto tempo eu encontrei um anjo
    Que se chamava Isaltina Ometto de Silveira Mello, que Deus a tenha no paraíso, é eu
    Só agradeço a Deus, pelo presente de ter conhecido este ser maravilhoso..

Deixe um comentário