Democracia de mãe joana.

Democracia não é isso que está acontecendo no Brasil. Não o é em qualquer lugar do mundo. Democracia não implica, apenas, liberdade de votar, liberdade para ser candidato, liberdade para agir e atuar politicamente. Não há democracia sem regras sólidas, justas e boas. Bagunça é confusão, casa de mãe joana. E isso não é democracia.

Merecedora de aplauso a atitude da ACIPI, abrindo espaço e oportunidade para os candidatos a deputação estadual nesta próxima eleição. No entanto, passa a ser mais um esforço sem grandes acréscimos, pois o problema tem raízes viciadas que não foram solucionadas. A representação política está viciada. Os partidos não representam a sociedade, mas grupos. Os candidatos ora são impostos por si mesmos, ora representam apenas interesses de segmentos partidários. Não há democracia sem partidos políticos definidos, fortes e representativos. Piracicaba, com 13 candidatos a deputado estadual, tem – se bem e conscientemente analisados – apenas quatro ou cinco nomes em condições de pleitear votos, de representar a população em segmentos mais expressivos.

Estas eleições são, talvez, as mais importantes da história recente do Brasil, dados os acontecimentos,decepções e desilusões que chegaram ao povo. Escolher os melhores impõe-se, nesse momento, como necessidade vital. E isso significa fechar espaço a aventureiros, a infantilismos, à ascensão de oportunistas que se aproveitam da fragilidade estrutural das instituições ditas democráticas. Um dia, chegaremos a uma reforma político-partidária decente e honesta. Por enquanto, é preciso que o povo se manifeste com as armas que tem nas mãos: o voto titubeante não pela consciência do eleitor, mas titubeante diante de partidos e de nomes inexpressivos.

As perspectivas são ruins. Pois, nessa democracia de mãe-joana, podemos eleger dois ou três bons, sabendo, porém e antecipadamente, que eles serão superados pela maioria de aventureiros aos quais os partidos abriram suas portas. Mas insistir é preciso. À espera de que, um dia – quem sabe? – se dêem regras mais honestas a essa casa de mãe joana.

Deixe um comentário