Piracicabano inseguro.

O fracasso das políticas de segurança na cidade – apenas um outro elemento na tragédia do Estado de São Paulo – reflete no cotidiano dos piracicabanos, no espírito da população. Neste jornal eletrônico, temos dado ênfase à interação popular, disponibilizando a coluna “Palavra do Leitor” e, também, a enquete como duas formas de manifestação do leitor.

No item segurança – se a população se considerava segura, razoavelmente segura ou insegura – a resposta dos leitores foi esmagadora: uma população insegura, segundo 69,8% dos manifestantes. Razoavelmente seguros, manifestaram-se 24,5% e seguros, apenas 5,66%. No período de 2 a 15 de agosto, A Província.com teve 7.759 visualizações e a enquete cobriu o período de 9 a 15 de agosto, quando houve 4.637 visualizações e cerca de uma centena de votantes.

A mostragem é apenas uma pálida imagem do que ocorre com o piracicabano: inseguro e amedrontado. E mais inseguro e amedrontado, ainda, sabendo que, muito próximos de bairros ocupados por famílias trabalhadoras, estamos convivendo, agora, com o Cadeião e a Febem, com todo o cortejo, portanto, de problemas que nos trarão as visitas a detentos e menores abrigados. As políticas de segurança, em São Paulo, não funcionam. E temos que reconhecer: os bandidos se revelam mais organizados e poderosos do que o poder público.

Deixe um comentário