Alessandro Penezzi e Zé Barbeiro fazem show no Engenho Central

O palco externo do Teatro do Engenho, no Engenho Central, vai receber os músicos Alessandro Penezzi e Zé Barbeiro na sexta-feira, 23/10, para um show com clássicos do choro. O evento integra a programação do 1º Festeco – Festival Ecológico de Piracicaba – A Música Como Conscientização Ecológica, que acontecerá nos dias 22, 23 e 24 de outubro, às 20h, no local. O 1º Festeco é realizado pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da Semac, Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente), Semtre (Secretaria Municipal de Trabalho e Renda), Rádio Educativa FM, em parceria com o Sesc (Serviço Social do Comércio). No local, nas mesmas datas, também acontecem a 3ª Exposição Ambiental da Sedema e o 5º Workshop de Formação Profissional da Semtre.

De acordo com Penezzi, o show instrumental terá no repertório composições suas, além de canções de compositores clássicos do choro, como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, entre outros. “Dentre as músicas, destaco Ao Mestre e Vivendo, choro e polca, em homenagem ao professor Sérgio Belluco, importantíssimo violonista e educador piracicabano; Jeringonça, Nhô-Quim, choro em homenagem ao XV de Novembro, além de Inocência, valsa também de Belluco, Camundongas, choro de Laércio de Freitas, e Uma Noite no Sumaré, choro de Esmeraldino Salles”, descreve.

O violinista, que é piracicabano, ficou feliz com o convite para se apresentar no Festeco. “Toda iniciativa de promover a boa música brasileira deve ser pauta de nossos governantes, não só pelo benefício mental e cultural, mas também pela manutenção de nossas raízes. Na atualidade, enquanto nos é oferecido diariamente, por quase todos os meios de comunicação, um arremedo musical duvidoso e rasteiro, só temos a agradecer quando surgem iniciativas como a do Festeco, ainda mais com a intenção ecológica como bandeira. Parabéns a todos os organizadores”, disse.

FORMATO – As 20 canções selecionadas entre as 53 inscritas de 13 cidades de três Estados brasileiro serão apresentadas no palco externo do Teatro do Engenho, nos dias 22 e 23, nas eliminatórias do 1º Festeco. Destas, serão escolhidas as 10 melhores, que serão executadas no dia 24, sábado, finalíssima do festival. Cinco sairão vencedoras. No total, serão distribuídos R$ 15 mil em prêmios, sendo R$ 7.000 para o primeiro lugar, R$ 5.000 para o segundo, e R$ 3.000 para o terceiro, além do Troféu Egildo Rizzi, criado em homenagem ao maestro da OSP (Orquestra Sinfônica de Piracicaba), falecido em 2013. Também serão premiados a melhor letra, melhor arranjo e melhor intérprete, com prêmios surpresa.

A secretária da Ação Cultural, Rosângela Camolese, destaca a qualidade e a diversidade dos ritmos. “O público poderá apreciar de moda de viola ao rap, passando por outros estilos. A organização está trabalhando para que o Festeco seja um sucesso e cumpra sua função, que é a de resgatar, preservar, fomentar, difundir e divulgar a produção musical e estimular a criatividade de músicos, compositores e intérpretes na defesa do nosso planeta. Serão três dias de shows gratuitos para a população que serão também o momento de promover o intercâmbio cultural, a formação de plateia e revelar novos talentos”, aposta a secretária.

ALTERAÇÃO – A lista inicial das 20 músicas teve uma alteração (confira abaixo a lista por ordem de apresentação), com a entrada da música Súplica da Natureza, de autoria da cantora piracicabana Aline Nunes, que também a interpretará no palco do Festeco, e saída de Terra Sã, de Zé Alexandre, compositor de Poços de Caldas. Alexandre não poderá participar devido a compromissos agendados em São Paulo. A canção de Aline foi escolhida por meio de repescagem realizada pelo júri de seleção.

Outra alteração será a substituição da cantora Júlia Simões por Jéssica Freitas, que defenderá no palco do Festeco a música Semente Ancestral, de Claudio Martins Segala e Otiniel Aleixo.

ALESSANDRO PENEZZI – Natural de Piracicaba, Alessandro Penezzi iniciou seus estudos de violão aos 7 anos. Compositor e arranjador, toca também o violão de 7 cordas, violão tenor, cavaquinho, bandolim e flauta. Formou-se em violão erudito em 1997, pela Escola de Música de Piracicaba, sob a orientação do maestro Ernst Mahle e do professor Sérgio Belluco, que também lhe mostrou o universo do Choro. Bacharelou-se em música popular pela Unicamp, em 2005. Integrou importantes grupos instrumentais brasileiros como: Regional do flautista Carlos Poyares; Trio Quintessência; Grupo Choro Rasgado; Projeto Violões do Brasil; Duo com Maestro Laércio de Freitas; Trio com Yamandú Costa, Rogério Caetano; Trio com Sizão Machado e Alex Buck; Duo com Alexandre Ribeiro. Penezzi é considerado tanto pela crítica como pelos músicos como um dos violonistas mais impressionantes da atualidade seja por sua técnica apurada, virtuosismo ou composições, que já foram gravadas por artistas como Yamandú Costa (Dayanna), Beth Carvalho (Acabou a Brincadeira) e Danilo Brito (Abraçando).

Em 2011, abriu o show da lenda viva do Jazz, Wayne Shorter, na 30a edição do Spokje Jazz Festival, na Macedônia.

A cada novo álbum lançado trazendo vários elogios da crítica especializada, Penezzi vem consolidando uma carreira de criatividade, maturidade e trabalho. Isso é notado pelas várias indicações a prêmios, gravações, programas de TV e rádio, concertos, workshops, oficinas e júri em festivais e feiras no Brasil e no exterior.

ZÉ BARBEIRO – Representante tradicional do choro, gênero de música instrumental mais antigo do Brasil, o violonista de 7 cordas Zé Barbeiro produz um diálogo entre o choro tradicional e o moderno, seu repertório é rico em balanço, contraponto e polifonia. Ganhou o Prêmio Pixinguinha e lançou o seu primeiro trabalho inédito e autoral solo o CD Segura a Bucha.

Em 2010 ganhou dois prêmios, um da Secretaria de Cultura de São Paulo e outro do Itaú Cultural Projeto Rumos, que permitiram a gravação de seu segundo trabalho autoral inédito, o CD No Salão do Barbeiro, com uma proposta mais popular, focada no choro contemporâneo para dançar.

SERVIÇO – 1º Festeco – Festival Ecológico de Piracicaba – A Música Como Conscientização Ecológica. Dias 22, 23, eliminatórias, e 24 de outubro de 2015, final, no Engenho Central, às 20h. Show com Alessandro Penezzi e Zé Barbeiro. Dia 23/10, após as apresentações das música selecionados no Festeco. Informações: semac.piracicaba.sp.gov.br, sedema.piracicaba.sp.gov.br esemtre.piracicaba.sp.gov.br. Telefone (19) 3403-2600. Gratuito.

Deixe um comentário