Alunos do Senac promovem doação de sangue e reformam espaços de escolas e abrigo para menores

O Programa Aprendizagem, do Senac Piracicaba, estimula seus alunos a desenvolverem projetos de melhoria na comunidade como finalização do primeiro módulo de aulas. Estudantes das duas turmas em andamento foram divididos em nove grupos e geraram várias ações como doação de sangue; campanhas de conscientização sobre posse responsável de animais, câncer de mama em homens e uso de drogas; e reformas em parquinhos, espaços de escolas municipais e do Lar Franciscano de Menores.

Durante o curso, os alunos foram estimulados a identificar, em suas comunidades ou na cidade, carências da população e, a partir daí, elaboraram um projeto de melhoria. “O jovem passa a ver a realidade de outro modo, tem prazer em ajudar o próximo e percebe que pode fazer a diferença. A maioria se envolve e diz que quer continuar a ajudar quem precisa”, explica Gisela Ubices Bassinello, coordenadora do programa.

Um dos grupos foi até o Hemonúcleo de Piracicaba fazer doação de sangue voluntária. Também promoveu uma enquete sobre doação no centro da cidade, com 120 pessoas, e uma campanha de conscientização, com cartazes no comércio local e divulgação em sites e redes sociais.

Outros três grupos optaram por reformar os parquinhos das escolas municipais Judith Moretti Accorsi, no Parque Piracicaba; Salim Simão, no São Jorge; e Antonio Boldrin, do Parque Orlanda II. Eles arrecadaram tintas e outros materiais necessários no comércio da cidade e reformaram e pintaram os brinquedos voluntariamente. Houve ainda uma turma que construiu uma casinha de bonecas com caixas de leite reutilizadas na Escola Municipal Professor José Francisco Alves.

No Lar Franciscano de Menores, os alunos promoveram a arrecadação de leite especial para um recém-nascido e também de livros, roupas e brinquedos. Os jovens pintaram o espaço chamado de Cantinho da Leitura com tintas doadas por comerciantes e organizaram todas as peças recebidas em estantes feitas de caixotes conseguidos no Mercado Municipal.

Outras turmas desenvolveram palestras de conscientização sobre posse responsável de animais, câncer de mama em homens e prevenção para o uso de drogas.

Todas as instituições envolvidas ficaram muito agradecidas pelo trabalho voluntário praticado pelos alunos. “Eles aprenderam a trabalhar em equipe e a identificar e solucionar problemas, o que é essencial na vida e na carreira”, explica Gisela.

O Programa Aprendizagem oferece vagas que devem ser preenchidas por jovens de 14 a 24 anos, contratados por empresas dos setores de comércio, turismo e serviços. Visa atender à Lei de Aprendizagem, que define que todas as empresas devem empregar aprendizes em quantidade estabelecida de acordo com o número de funcionários regulares.

O curso tem duração de um ano e, durante esse período, os alunos cumprem carga horária teórica semanal, participando de aulas como informática, atitude empreendedora, ambientação profissional, saúde e segurança do trabalho, e rotinas básicas. A parte prática do aprendizado é feita na empresa em que o aluno trabalha.

Deixe um comentário