Animais do Zoo ganham menu caprichado e ambiente climatizado para enfrentar o Inverno

O Inverno chegou na madrugada de 21 de junho e parte dos cerca de 385 animais do Zoológico Municipal de Piracicaba tem recebido tratamento especial para enfrentar as baixas temperaturas do período. A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), dispensa atenção redobrada à maioria deles nesta época. E os cuidados variam de acordo com cada espécie.

Na estação, alguns répteis, especialmente as serpentes, e aves menores são mais monitoradas. No serpentário são colocados termômetros, aquecedores, placas de aquecimento, equipamentos que ajudam a proteger do frio. Já no recinto das aves, são as cortinas de borracha e os ninhos que deixam o ambiente mais aquecido. Quanto aos mamíferos, estes possuem cama de feno e barreiras de madeira nos corredores de segurança dos recintos que amenizam as temperaturas.

Segundo a bióloga do Zoológico, Paula Matias, o recinto das araras e papagaios foi completamente revestido por lonas para isolar o vento em 2016. “Neste ano, vamos aguardar. Se o Inverno for mais severo, retiraremos as aves menores (papagaios, periquitos, ararajubas e tiribas) e as colocaremos no setor de Quarentena, pois temos espaço e conseguimos cobrir com facilidade”, disse. Em relação aos pássaros maiores, como é o caso de Ursinho, uma arara-azul, Paula contou que os recintos possuem ninhos e cortinas de borracha, que protegem do vento.

No espaço destinado às serpentes, lâmpadas apropriadas, aquecedores e placas térmicas são ligados e deixam a temperatura mais estável, o que pode evitar casos de doenças que estes répteis possam contrair: as pulmonares são as mais comuns. Além desses dispositivos, o serpentário dispõe de termômetros que são monitorados diariamente para que as temperaturas fiquem entre 22ºC e 27ºC. É assim que a píton, a jiboia e a caninana do Zoo são mantidas.

Segundo a bióloga, os animais que têm mecanismos próprios de defesa também necessitam de atenção durante o Inverno. “As iguanas e os jacarés, por exemplo, se alimentam menos no Inverno e entram em hibernação. Com isso, não sentem tanto as mudanças na temperatura. Já os mamíferos, especialmente os macacos, têm o metabolismo bem acelerado – por natureza -, e mantêm o corpo sempre aquecido, assim como nós. Mesmo assim, ficamos de olho”, ressaltou.

MENU CAPRICHADO – Além do reforço para aquecer o ambiente, a alimentação também muda nos dias mais gelados. A quantidade de alimentos aumenta, já que os animais gastam mais calorias. Dessa forma, eles criam reservas de gordura para que possam atravessar a estação. “Aumentamos a quantidade de abacate e coco para os mamíferos e acrescentamos amendoim na dieta deles”, exemplificou Paula.

A bióloga explica ainda que, de modo geral, os funcionários do Zoológico ficam atentos às possíveis mudanças de comportamento dos animais, principalmente relacionadas às questões de problemas respiratórios.

Conforme Paula, os cuidadores, que passam maior tempo do dia junto aos animais, estão orientados e capacitados para reportar qualquer alteração de comportamento ou de saúde aos setores de biologia e veterinária.

SERVIÇO – O Zoológico Municipal de Piracicaba conta com 385 animais – 253 aves, de 62 espécies; 80 mamíferos, de 31 espécies; e 52 répteis de oito espécies. O Zoo está localizado à avenida Marechal Castelo Branco, 426 – Jardim Primavera, e funciona de terça-feira a domingo, das 9h às 16h. Mais informações pelo telefone (19) 3421-3425 .

Deixe um comentário