Fentepira registra mais de 5 mil espectadores

A comissão organizadora do 7º Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba) divulga os números oficiais da mostra, realizada de 27 de outubro a 4 de novembro. Nos nove dias 5.374 pessoas acompanharam as 17 atrações gratuitas no Teatro Municipal Dr. Losso Netto, Teatro do Sesi, Praça José Bonifácio, Casarão do Turismo da Rua do Porto e nos pontos de cultura Garapa e Educomunicamos.

Realizado pela Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), o Fentepira é uma política pública que visa ao desenvolvimento das artes cênicas locais, a formação de público e o intercambio de ideias. ”Percebemos a alegria da plateia com a programação. O Festival movimenta a cultura da cidade, porque também é uma construção coletiva da Semac com várias entidades”, diz Rosângela, ao citar os parceiros Sesi, Senac, Apite!, Esalq, Unimep, Secretaria Municipal de Educação e Centro de Comunicação Social.

Os dez espetáculos da mostra principal, com grupos de São Paulo (interior e capital), Paraná e Minas Gerais, receberam os debatedores Alexandre Mate, professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e Evill Rebouças, dramaturgo, diretor, ator e pesquisador. Eles se uniram a plateia e grupos para transmitir um olhar apurado sobre as produções.

PARTICIPAÇÃO – Aproximadamente 500 pessoas acompanharam a abertura da mostra, ocorrida na Praça José Bonifácio com o espetáculo de rua Arrumadinho, da Trupe Olho da Rua, em 27 de outubro. Já o encerramendo, no domingo (4), teve 608 espectadores no Teatro Municipal Dr. Losso Netto na estreia de Sobre a Terra que Arte, comemorativa aos 20 anos da Ceta (Companhia Estável de Teatro Amador de Piracicaba).

Entre os espetáculos realizados no Teatro Municipal Dr. Losso Netto, os de maior público foram os infantis O Pato, a Morte a Tulipa, da Cia. de Feitos, de São Paulo, e O Dorminhoco, da Cia. do Abração, de Curitiba. Eles tiveram a presença de 674 estudantes da rede municipal de ensino e lotaram a casa de espetáculos na segunda-feira (29) e quinta-feira (1o), respectivamente.

Houve ainda 450 pessoas em Jogando no Quintal, apresentado em 28 de outubro; 193 espectadores em Pé na Curva, da Cia. de 2 (São José dos Campos), encenado dia 27; e público de 217 pessoas em Encontro de Dois (Quase9 Teatro, de São Paulo, dia 31).

A procura por ingressos também foi alta nas montagens com lugares reduzidos. Cabeça de Papelão (Cia. da Revista/SP), Outro Lado (Grupo Quatroloscinco/MG) e Forfé Canta Lilás (Grupo Forfé/Piracicaba), que inicialmente seriam vistos por 80 e 60 pessoas, respectivamente, mas cada um contou com uma média de 25 poltronas extras.

Já no Teatro do Sesi Piracicaba, que abrigou dia 28 o solo teatral Ivan e os Cachorros, com Eduardo Mossri, e dia 29 a montagem Luis Antonio-Gabriela (Cia. Mungunzá/SP), foram 450 espectadores (150 na primeira e 300 na segunda),

A organização contabilizou 1.300 pessoas nos espetáculos de rua realizados no Casarão do Turismo da Rua do Porto (Gran Circo Internazionale, com o Grupo Zibaldoni, de Ribeirão Preto), Praça José Bonifácio (O Pavão Misterioso/Cia. Forrobodó, de São José do Rio Preto) e Ponto de Cultura Garapa (Coração dos Teatros Rodantes (Andaime Teatro Unimep).

As atividades paralelas Cenas sem Fronteiras, realizadas no Educomunicamos! Ponto de Cultura (filme O Palhaço) e na Sala 2 do Teatro Municipal (bate-papo com o grupo Quatroloscinco) tiveram, respectivamente, 20 e 15 pessoas.

Pelo segundo ano, o Fentepira contau com uma curadoria, em 2012 assumida por Marici Salomão, dramaturga, jornalista e crítica teatral, e por Fátima Monis, orientadora de artes cênicas do Sesi.

Deixe um comentário