Festival de Teatro comemora 10 a​nos com 17 apresentações gratuitas​ em Piracicaba

Espetáculo Tekohá abre programação na praça - foto Cátia SantosCompanhias de artes cênicas de cinco Estados brasileiros reúnem-se no interior paulista de 7 a 15 de novembro para celebrar a diversidade de estilos e linguagens no Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba). A décima edição traz 17 apresentações de espetáculos para todas as idades, além de oficinas e debates, distribuídos em dez espaços. As atividades, gratuitas, são promovidas pela Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), e entidades parceiras.

A maratona de apresentações tem início na Praça José Bonifácio, com o Teatro Imaginário Maracangalha. Às 11h de sábado, 7, a trupe de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, apresenta Tekohá – Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno, sobre a trajetória do líder guarani Marçal de Souza e sua resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas. A peça é um oferecimento do Sesc Piracicaba.

Como forma de convidar o público da área central para o espetáculo de abertura, a Apite! (Associação Piracicabana de Teatro) organiza um cortejo, com saída às 10h em frente ao Mercado Municipal. Os atores percorrem a rua Governador Pedro de Toledo em direção ao coreto da praça, onde acontece a apresentação. Para o ato, a diretoria da entidade convocou grupos de teatro locais, solicitando ainda que os atores utilizem seus figurinos de teatro.

PROGRAMAÇÃO – O Fentepira tem como palcos o Parque do Engenho Central, com encenações no Teatro Erotídes de Campos, no Armazém 11 e na área externa (entre os armazéns 7A e 7B), além do Ponto de Cultura Garapa, Praça José Bonifácio, Teatro do Sesi, Teatro do Sesc e Casa do Povoador. Os grupos participantes são provenientes de Brasília (DF), Itajaí (SC), Belo Horizonte (MG), além de São Paulo, incluindo a capital e as cidades de Sorocaba, Campinas e Piracicaba.

Esta edição está distribuída em 10 espetáculos na mostra principal, três peças convidadas, duas montagens pelo projeto Diversão em Cena e três oficinas. No caso do espetáculo São Jorge Menino, com duas sessões na Praça José Bonifácio, trata-se de uma realização da São Cia São Jorge de Variedades com o apoio da Secretaria Estadual de Cultura, pelo projeto ProAC Circulação de Espetáculos de Rua. Já as oficinas acontecem no Sesc, Casa do Hip Hop e Senac, sendo direcionadas a diferentes públicos.

Sem caráter competitivo entre as companhias participantes, o Fentepira tem como objetivos a formação de plateias, o estímulo à troca de ideias, a popularização das artes cênicas e o fomento dos grupos de teatro. “Uma das peculiaridades do Fentepira é o trabalho da comissão organizadora, composta por atores, diretores de teatro e fazedores de cultura. Num trabalho incansável, eles unem-se à Semac para pensar e contribuir com o amadurecimento das atividades”, diz a secretária da Ação Cultural, Rosângela Camolese, ao citar as reuniões semanais para a organização.

O formato do Fentepira passou por modificações desde a sua criação, em 2006. Era de caráter competitivo, com premiação em categorias e entrega de troféus. Depois, ganhou o formato de mostra e, com isso, os selecionados recebem ajuda de custo conforme a distância de Piracicaba. Também foi implantada a curadoria, em 2011, e incorporada, no ano passado, a Mostra de Teatro Estudantil. “Temos um evento que contribui para a projeção de Piracicaba como polo cultural no Estado de São Paulo”, avalia o prefeito Gabriel Ferrato.

As 10 montagens da mostra oficial foram analisadas entre as 253 inscritas, de 75 cidades, de 14 estados mais o Distrito Federal. A curadoria desta edição é dividida entre Jorge Vermelho e Valdir Rivaben. “Absorvemos trabalhos que apresentem novos respiros à cena teatral, onde em sua essência exalem a pesquisa, a definição de um caminho artístico e uma prática que nos provocasse como espectadores. Além, é claro, da qualidade das propostas, pensando no público que habitará as cadeiras do teatro e será a recepção concreta da obra teatral”, relatam os curadores do Fentepira. Valdir Rivaben é articulador de programação das Oficinas Culturais na Poiesis – Organização Social de Cultura, e Jorge Vermelho é ator e diretor da Companhia Azul Celeste, em São José do Rio Preto, e diretor artístico do Balé Teatro Castro Alves, em Salvador.

O regulamento do Fentepira estabelece que a mostra contemple entre um e três espetáculos de grupos estabelecidos em Piracicaba. Especialmente nesta edição, acatando a uma sugestão da comissão organizadora, três montagens da cidade foram incluídas na grade, de forma inédita. Os selecionados são Muda por Amor, da Cia D`Vergente de Teatro, Degredo, do Grupo Forfé de Teatro, e Lodo, da Cia Te-Ato de Teatro. Na avaliação dos curadores, “trata-se de grupos que comprovam a presença da elaboração da pesquisa, e que apresentam uma maturidade a caminho do profissionalismo, definindo suas personalidades e projeto artístico”.

DEBATES – Após a apresentação dos espetáculos da mostra principal, o público é convidado a participar de bate-papos com as companhias de teatro. Os objetivos são o amadurecimento da plateia e o acesso, pelas trupes, a um olhar apurado sobre suas produções. O curador Valdir Rivaben, piracicabano radicado na capital, conduz os debates. Desde a quinta edição, atua como debatedor Alexandre Mate, doutor em história social e professor do Instituto de Artes da Unesp, em São Paulo. Mate produz leituras críticas, encaminhadas a todos os grupos, e publicadas no site do Fentepira. Também participa o ator e diretor Aguinaldo de Souza.

Na analise de Mate, o Fentepira representa uma rara oportunidade de contato com experimentos teatrais desenvolvidos no país. “Além do contato com as obras, há um aproximação com o pensar dos grupos e a possibilidade de interação concreta com os criadores”, diz Mate. Ele fala da importância das leituras críticas aos grupos participantes e ao público apreciador: “é um documento sobre alguma experiência humana. Pode funcionar, também, como um descortinador de diálogos, de revisitador de senso comum e achismos plantados e naturalizados na vida social”.

As instituições parceiras desta edição são o Sesi, Sesc, Senac, Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), Colégio Piracicabano, Poiesis – Organização Social de Cultura, Ponto de Cultura Garapa, Apite! (Associação Piracicabana de Teatro), CoMCult (Conselho Municipal de Cultura), Associação Cultural e Teatral Guarantã, Jornal de Piracicaba, Revista Arraso, Secretaria Municipal de Educação e Rádio Educativa FM.

MOSTRA – A inclusão da Mostra de Teatro Estudantil de Piracicaba no Fentepira se deu por meio da lei 7.941/2014, com o propósito de difundir e promover o gosto teatral entre os estudantes e desenvolver a formação de público. Os espetáculos são criados por grupos de teatro de escolas públicas, privadas ou de entidades do Estado de São Paulo. Nesta edição, a mostra antecedeu o Fentepira, de 3 a 6 de novembro, no Salão Nobre do Colégio Piracicabano, Teatro do Sesi e Teatro do Sesc, com grupos de Piracicaba, Quadra, Boituva, Valinhos e Sumaré.

SERVIÇO – 10º Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba). De 7 a 15 de novembro. Entrada gratuita. Ingressos para espetáculos fechados começam a ser distribuídos uma hora antes de cada atração. Mais informações pelo site www.fentepira.com.br, pelo blogfentepira.wordpress.com, no Facebook www.fb.com/festivaldepiracicaba ou pelos telefones (19) 3413-8526 e (19) 3413-5212.

PROGRAMAÇÃO DE ESPETÁCULOS

Sábado | 7 de novembro | 11h | Praça José Bonifácio
Tekoha – Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno [Espetáculo convidado]
Teatro Imaginário Maracangalha, de Campo Grande (MS)

 
Sábado | 7 de novembro | 20h | Teatro do Sesi
Cartas Libanesas [Mostra oficial]
Eduardo Mossri, de São Paulo (SP)
Domingo | 8 de novembro | 11h | Casa do Povoador
Muda por Amor [Mostra oficial]
Cia D`Vergente de Teatro, de Piracicaba (SP)

Domingo | 8 de novembro | 16h | Teatro Erotídes de Campos
Carnaval dos Animais [Projeto Diversão em Cena/ ArcelorMittal]
Grupo Giramundo, de Belo Horizonte (MG)
 
Domingo | 8 de novembro | 17h | Engenho Central
Entre aos armazéns 7A e 7B
O Concerto da Lona Preta [Mostra oficial]
Trupe Lona Preta, de São Paulo (SP)

Domingo | 8 de novembro | 21h | Teatro Erotídes de Campos
Degredo [Mostra oficial]
Grupo Forfé de Teatro, de Piracicaba (SP)

Segunda-feira | 9 de novembro | 20h | Engenho Central

​ | ​

Armazém 11
Lodo [Mostra oficial]
Cia Te-Ato de Teatro, de Piracicaba (SP)

Terça-feira | 10 de novembro | 14h | Teatro Erotídes de Campos
Simbad, O Navegante [Mostra oficial]
Circo Mínimo, de São Paulo

Quarta-feira | 11 de novembro | 20h | Teatro Erotídes de Campos
Quinta-feira | 12 de novembro | 20h | Ponto de Cultura Garapa

Abnegação [Mostra oficial]
Tablado de Arruar, de São Paulo (SP)

Sexta-feira | 13 de novembro | 20h | Teatro Erotídes de Campos
As Estrelas são para Sempre? [Mostra oficial]
Grupo Katharsis, de Sorocaba (SP)

Sábado | 14 de novembro | 11h | Praça José Bonifácio
São Jorge Menino [Espetáculo convidado]
Cia. São Jorge de Variedades, de São Paulo

Sábado | 14 de novembro | 20h | Teatro Erotídes de Campos
Misanthrofreak [Mostra oficial]
Grupo Desvio, de Brasília (DF)

Domingo | 15 de novembro | 11h | Praça José Bonifácio
São Jorge Menino [Espetáculo convidado]
Cia. São Jorge de Variedades, de São Paulo

Domingo | 15 de novembro | 14h | Sesc Piracicaba
Um, Dois, Três: Alice! [Mostra oficial]
Téspis Cia. de Teatro, de Itajaí (SC)

Domingo | 15 de novembro | 16h | Teatro Erotídes de Campos
Em Busca do Ingrediente Secreto [em Cena/ ArcelorMittal]
Chica e Olga Ateliê de Criações, de São Paulo

Domingo | 15 de novembro | 19h | Teatro do Sesi
DuoElo [Atividade Paralela]
Núcleo de Artes Cênicas do Sesi Campinas Amoreiras

PROGRAMAÇÃO DE OFICINAS

O Violino do Titanic
Com Pietro Floridia (Itália)
Dias 6, 7, 11, 13, 14 e 15 de novembro
Sextas das 18h30 às 22h; sábados e domingos das 9h30 às 18h.
25 vagas.  Para atores
Local: Sesc Piracicaba

Teatro de Rua: Diálogos e Protagonismo
Com Fernando Cruz, do grupo Teatro Imaginário Maracangalha
9 de novembro, segunda-feira – das 15h às 19h
30 vagas – para todos os públicos
Local: Casa do Hip Hop de Piracicaba

Oficina Ao Coro Retornarás
Com a Cia. São Jorge de Variedades
14 de novembro – das 15h às 17h
20 vagas – para todos os públicos
Local: Senac Piracicaba

Endereços

Teatro Municipal Erotídes de Campos
Av. Maurice Allain, 454, Parque do Engenho Central


Sesi Piracicaba
Avenida Luiz Ralph Benatti, 600, Vila Industrial, Piracicaba

Sesc Piracicaba
Rua Ipiranga, 115, Centro, Piracicaba

Ponto de Cultura Garapa
Rua Dom Pedro II, 1.313, Bairro Alto

Casa do Povoador
Avenida Beira Rio, 800, Centro

Senac Piracicaba
Rua Santa Cruz, 1148, Bairro Alto

Casa do Hip Hop de Piracicaba
Rua Jaçanã Altair Pereira Guerrini, 200, Paulicéia

Deixe um comentário