Júri seleciona obras para segunda fase do II Salão de Aquarelas

juri sapJúri formado por Jorge Eduardo Alves de Souza, Elisabeth Laky Gatti e Anderson Nascimento se reuniu na terça-feira, 2, para escolher as obras que irão para a 2ª fase de seleção do II Salão de Aquarelas – Piracicaba (SAP), realizado pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural). A exposição será aberta no dia 1º/04, na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra.

O II SAP recebeu a inscrição de 234 obras de 88 artistas de 33 cidades dos Estados do Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais. Destas, 92 – de 51 artistas – foram escolhidas e seguem para seleção final no dia 1º de março. De acordo com Eduardo Borges de Araújo, diretor da Pinacoteca, serão escolhidos aproximadamente 75 trabalhos para exposição e, entre estes, os premiados.

Membro do júri, autor do livro Aquarelas do Brasil e um dos aquarelistas mais importantes do Brasil, o carioca Jorge Eduardo Alves de Souza destacou o elevado nível das obras. “Fizemos a seleção e tivemos de colocar nossas preferências de lado e julgar com imparcialidade, como esperam os candidatos. Não gosto de julgar, mas quando julgo sou impiedoso (risos). Nós três discutimos muito para chegarmos a um consenso e o que vimos foram trabalhos de muita qualidade e muitos artistas esforçados”, analisou Souza, que realizou uma paralela no I SAP, em 2015.

A diversidade dos trabalhos chamou a atenção da jurada Elisabeth Laky Gatti. “Os trabalhos inscritos são de excelente qualidade. Vimos artistas principiantes com embasamento para seguir adiante”, disse a aquarelista de Porto Alegre.

O jurado Anderson Nascimento, ilustrador, aquarelista e professor de aquarela em São Paulo, destacou o grande números de paisagens recebidas. “Discutimos bastante para chegarmos a um consenso. Priorizamos a qualidade e não a quantidade e o público poderá ver um Salão mais figurativo e com mais paisagens”, revela.

PRIMEIRA EDIÇÃO – Em 2015, em sua primeira edição, o SAP também recebeu a inscrição de 234 obras e 67 delas foram para exposição. Os premiados foram Maria de Los Angeles Soleri De Arregui, Graciela Inês Wakizaka Yamada e Arluce Maria de Jesus Gurjão (prêmio aquisitivo Prefeitura Municipal), Domênica Esther Del Tránsito Gamboa Alarcón e Maria Inês Lukacs (prêmio aquisitivo Unimed), Antonio Carlos Rampazzo (medalha Miguel Dutra), João Pedro da Costa (prêmio Koralle) e Ivone Beltran Fernandes (prêmio Pintar).

Receberam menções honrosas Paulette Vaisberg Gercht, Klaus Reichardt, Walter Handro, Marcia Misawa Marcondes e Rosana Marta Ferranti.

ORIGEM ORIENTAL – A aquarela é uma técnica surgida na China há mais de 2.000 anos, e se supõe esteja relacionada com a invenção do papel e dos pincéis de pelo de coelho. No Ocidente é divulgada desde a Idade Média por Tadeo Gaddi, discípulo de Giotto, que teria produzido desenhos aquarelados feitos sobre papel tipo pergaminho até 1366.

Utilizada por artistas flamengos, foi amplamente empregada em Florença e Veneza. Foi com Albert Dürer que a aquarela pôde resistir ao tempo, já que ele deixou pelo menos 120 obras nesta técnica.

Entre os artistas que se destacam na técnica estão John White, Alexander Cozens, William Blake, John Cotman, Peter De Wint, John Constable e William Turner.

SERVIÇO – II Salão de Aquarelas – Piracicaba. Na Pinacoteca Miguel Dutra, rua Moraes Barros, 233, telefone (19) 3433-4930. A exposição será aberta no dia 1º/04.

Deixe um comentário