Morre Ronaldo Victoria, jornalista

Ronaldo Victoria

Ronaldo Victoria deixa contribuições ao jornalismo e à cultura de Piracicaba.

O jornalista faleceu, aos 61 anos, nesta quarta-feira (10) à tarde. Ele estava internado na Santa Casa de Piracicaba, desde a semana passada, quando passou por cirurgia. Ronaldo Victoria integrava a equipe do site “A Província”, atuando na área de cultura – seu principal interesse no campo profissional.  Nos últimos anos, também colaborou com os livros produzidos pelo ICEN – Instituto Cecílio Elias Netto, com seu trabalho na elaboração de entrevistas e pesquisas.

A direção e equipe de “A Província” e do ICEN lamentam profundamente a perda de Ronaldo, companheiro de trabalho de muitos anos, que contribuiu com o jornalismo e a cultura locais.

Uma longa carreira

Ronaldo formou-se em Jornalismo pela Unimep – Universidade Metodista de Piracicaba em 1984, mas começou a atuar como redator mesmo antes da formatura, em 1978. O primeiro emprego, como redator e repórter, foi em “O Diário”, dirigido por Cecílio Elias Netto. Depois desempenhou as mesmas funções no Jornal do Povo e no Jornal de Piracicaba.

Nos anos 80, já diplomado, atuou como assessor de imprensa da Secretaria de Ação Cultural de Piracicaba, divulgando os projetos da Secretaria e, entre outras funções, fazendo contato com os artistas que se apresentavam no Teatro Municipal da cidade. Ainda naquela década foi redator no jornal impresso “A Província”, também dirigido por Cecílio Elias Netto, lançado em agosto de 1987, tendo participado do projeto desde o primeiro número. Lá, teve oportunidade de entrevistar figuras expressivas da cidade.

Posteriormente, Ronaldo foi para a EPTV, em Campinas, onde trabalhou como pesquisador. Ele também foi correspondente do jornal Folha de S. Paulo na cidade.

A partir de 1989, fez carreira em São Paulo. Seu primeiro trabalho na Capital foi na Agência Dinheiro Vivo, dirigida por Luiz Nassif, colaborando na elaboração de boletins informativos dirigidos a empresários sobre a situação da política econômica. Atuou no jornal Diário Popular durante 10 anos. Seu trabalho sempre esteve voltado para a área cultural, primeiro para a televisão, no suplemento Diário na TV e, depois, para outras expressões. Entrevistou artistas famosos de todas as áreas e teve atuação na revista Já, que realizava trabalho de pesquisa sobre a história da capital. Depois, transferiu-se para a Editora Abril, onde foi editor da revista Contigo. Ronaldo ainda voltou a trabalhar para o Diário, que, então, se chamava Diário de S. Paulo, onde ficou de 2001 a 2004.

Novamente em Piracicaba, no ano seguinte, o jornalista retornou para “A Província” – naquele momento, já em sua versão digital. Ele também atuou por cinco anos como sub-editor do Jornal de Piracicaba. Em suas novas funções no jornal, Ronaldo fez entrevistas com nomes marcantes da cidade, na coluna Persona, com matérias de uma página nas edições de domingo. Em seguida, ele foi para a agência de publicidade MBM. Ronaldo também desenvolveu inúmeros trabalhos como free-lancer ao longo de sua carreira.

4 comentários

  1. Maria Aparecida Sergio em 10/07/2019 às 18:52

    Uma pena!!! Descanse em paz Ronaldo!!!!

  2. Daniele Ricci em 10/07/2019 às 22:28

    Parabéns à equipe de A Província por trazer mais do que a informação sobre o fato, mas por contar um pouco da trajetória desse brilhante amigo, parceiro e profissional, Ronaldo Victoria, merecedor dessa atenção. Obrigada! Grande abraço!

  3. Erika Mazon em 11/07/2019 às 00:11

    Inteligente, carismático, ótimo entrevistador, bom papo, divertido, um querido que fará muita falta!

  4. Nordahl em 11/07/2019 às 16:37

    RIP MEU AMIGO QUERIDO

Deixe uma resposta para Maria Aparecida Sergio Cancelar resposta