Museu da Cana de Açúcar

O açúcar desempenhou um papel importante na economia da cidade de Piracicaba contribuindo para a evolução cultural e artística de toda a região. A produção de açúcar foi um dos primeiros empreendimentos econômicos a funcionar, de modo organizado, nas terras brasileiras. Outras atividades surgiram, mas a atividade açucareira se manteve na liderança por mais de um século. Por essa razão, tudo que se relaciona com o empreendimento açucareiro possui inestimável valor histórico para o Brasil e, especialmente, para Piracicaba, que sempre teve na atividade açucareira uma de suas principais fontes de desenvolvimento econômico e social. O museu irá estimular o gosto das novas gerações pelo que formou em torno do ciclo da cana-de-açúcar.

O Instituto Brasil Leitor será responsável pela gestão, coordenação e execução geral do projeto. A museologia ficará a cargo de Fábio Magalhães e o projeto arquitetônico e museográfico estarão sob responsabilidade de Pedro Mendes da Rocha, ambos profissionais de notório saber em suas áreas. A primeira fase de execução do projeto começa em dezembro, com o restauro do prédio do Engenho Central. A previsão para entrega do museu é para 2012. Serão investidos R$ 38,6 milhões, verba esta vinda de patrocinadores privados através de lei de incentivo.

O Engenho Central, fundado em 1881 pelo Barão de Rezende, foi o grande símbolo do desenvolvimento na época e representou um salto na estrutura produtiva canavieira no Brasil, pois industrializava a cana-de-açúcar de forma centralizada e com equipamentos modernos. O engenho também inovou ao empregar mão-de-obra assalariada, enquanto o restante do país ainda utilizava escravos.

Segundo o Prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, “a pretensão é transformar o Engenho e o Museu do Açúcar em referência cultural mundial, em motivo de orgulho para Piracicaba e seus habitantes que, desde o ano passado, podem considerá-lo definitivamente seu, uma vez que a Prefeitura fechou acordo com os antigos proprietários, colocando fim à pendência judicial que se arrastava há anos.”

O Museu tratará das principais etapas do desenvolvimento do ciclo açucareiro no Brasil e no mundo, com ênfase para o Estado de São Paulo e a região de Piracicaba. Isso permitirá que os visitantes conheçam e aprendam de forma interativa, por exemplo, o significado e a importância da cultura da cana-de-açúcar como fonte de energia renovável para enfrentar os desafios de sustentabilidade do presente. A criação do Museu do Açúcar trará benefícios a região piracicabana, com a ampliação do conhecimento da história das atividades ligadas à cultura da cana-de-açúcar pela população, conta William Nacked, diretor geral do Instituto Brasil Leitor. Segundo ele, o antigo Engenho Central revitalizado, pleno de atividades culturais e de negócios, deixará de ser visto como espaço abandonado e passará a ser, no decorrer dos anos, motivo de orgulho e referência para a comunidade de Piracicaba e todo o Brasil.

O Projeto de Restauro do Engenho Central e de criação do Museu do Açúcar de Piracicaba, com parceria entre a Prefeitura do Município de Piracicaba e o Instituto Brasil Leitor, será lançado dia 10 de setembro, às 18h, na Pinacoteca Municipal Miguel Archanjo B. A. Dutra, em Piracicaba.

1 comentário

  1. mauro em 31/01/2013 às 13:54

    as chaminès do museu da cana è um marco da historia necessita de restauração.

    Restaurador desponivel: ribeiro reformas de chaminè.

    31 94274284 – 31 98462646- 31 35042926

Deixe um comentário