Museu Prudente de Moraes recebe oficinas de patrimônio cultural e produção de jornal

A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac), inicia na próxima sexta-feira, 2, às 8h30, no Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, as oficinas do projeto “Educomunicação e Memória – O Patrimônio Cultural na mídia”. Coordenado pelo jornalista e produtor cultural Rafael Bitencourt, o projeto é financiado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Semac e levará oficinas a diferentes espaços da cidade. Os próximos encontros no Museu ocorrerão nos dias 9, 19 e 26 e junho e contarão com a participação de alunos do ensino médio da Escola Estadual Barão do Rio Branco.

 

Compõem o projeto “Educomunicação e Memória –  O Patrimônio Cultural na mídia” os profissionais: Claudia Assencio (jornalista e educadora), Erick Tedesco (jornalista e historiador), Fabiano Pereira (professor universitário), Bruno Fernandes (fotógrafo e cinegrafista), Victor Corte Real (designer gráfico) e Thiago Sacilotto (contador), além do coordenador Rafael Bitencourt.

 

O objetivo é difundir a concepção de patrimônio cultural imaterial abrangendo as expressões culturais e as tradições, como os saberes, músicas, festas e danças populares. “Para isso será utilizada a metodologia da educomunicação, que promove o acesso democrático à produção e difusão de informação, facilita o ensino e aprendizado por meio do uso criativo dos meios de comunicação e promove a expressão comunicativa”, explica Bitencourt.

 

“O intuito é fazer com que os participantes utilizem ferramentas de comunicação como instrumento de educação para eles mesmos e para o público atingido. Assim, serão realizadas oficinas que permitirão a produção de um jornal, tendo como foco a difusão e o conhecimento do patrimônio cultural e das memórias da sociedade”, completa o coordenador e proponente do projeto.

 

Com a proposta de atingir regiões distintas de Piracicaba, o projeto acontecerá em três diferentes locais da cidade: Museu Prudente de Moraes (Centro), Centro Cultural Zazá (bairro Mario Dedini) e Estação da Paulista (bairro Paulista) – nessa última sede será trabalhada a produção de vídeos. Nas próximas sedes, as datas ainda serão definidas.

 

EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO – O educador Paulo Freire defende não haver educação que não ocorra a partir de uma razão comunicativa dialógica que supere a tendência de dominação ideológica praticada. Em Freire “não há comunicação plena sem consciência educativa, e nem educação plena sem instrumentalização comunicativa”. Na pedagogia freiriana, ao relacionar os atos de aprender e de ensinar em uma dinâmica comunicativa, estão estabelecidas as condições para o estímulo de processos que possibilitam o aprendizado de professores e alunos, de modo a transpor o limite do senso comum rumo a novos conhecimentos, inspirados pela cooperação, criatividade e inovação.

 

Trata-se de um projeto que visa promover pesquisa, ações educativas, formação, capacitação, transmissão de saberes. Assim, a temática do patrimônio cultural será abordada de forma leve e educativa, tanto para os participantes como para o público atingido. Os próprios participantes serão provocados no sentido de trazerem às oficinas os patrimônios imateriais que conhecem e que sua comunidade possui, de forma a valorizá-los e difundi-los. Assim, serão produzidos jornal impresso, site/redes sociais com informações pertinentes, que resgatam esse patrimônio e o difundem.

 

Por meio do processo de produção, os participantes terão a oportunidade tanto de aprender sobre os métodos para se produzir um material comunicativo como, principalmente, aprender sobre o patrimônio cultural e sua importância, tendo ainda a oportunidade de difundir essas ideias para o público, gerando conhecimento e empoderamento.

Deixe um comentário