Projeto aproxima música erudita de 3 mil alunos​ ​da rede pública

Foto: Rodrigo Alves

Foto: Rodrigo Alves

Aproximar estudantes da música erudita é o que faz o projeto Música nas Escolas, que a Orquestra Sinfônica de Piracicaba desenvolve com recursos da Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Educação. A estreia da edição 2016 acontece na manhã desta quarta-feira, 27, na Escola Ida Francez Lombardi, no bairro Santa Fé. Até novembro são 21 unidades e 2.940 crianças contempladas.

Segundo a secretaria de Educação, Angela Jorge Corrêa, o projeto Música nas Escolas assegura a formação, a difusão e a valorização cultural dos estudantes da rede municipal de ensino. “Implantamos, no ano passado, o projeto-piloto em oito escolas, atendendo 560 estudantes. Por sabermos dos benefícios da educação musical, a ampliação das ações já estava prevista, após recebermos o aval do prefeito Gabriel Ferrato. São experiências didático-pedagógicas marcantes para os nossos alunos”, diz.
Idealizado pelo maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular da Sinfônica de Piracicaba, o projeto quebra a rotina dos estudantes, a partir das visitas didáticas e descontraídas dos quartetos de cordas, madeiras e metais da OSP. Cada unidade municipal de ensino recebe duas apresentações, às 9h30 e às 10h20, sendo 35 alunos por turma, do primeiro ao quinto anos, de idade entre 6 e 10 anos. Três escolas são visitadas por mês. As aulas duram 50 minutos.
Os músicos fazem uma demonstração prática sobre os instrumentos, suas formas de funcionamento, histórias e curiosidades. Temas infantis e do cinema são apresentados, e composições célebres da música erudita. Há espaço para perguntas e os estudantes têm a oportunidade de entender como é a carreira de músico e o que é preciso para tocar um instrumento. Ao final, todos podem ver os instrumentos de perto e toca-los.
A elaboração do roteiro das escolas esteve aos cuidados das coordenações de educação infantil e de ensino fundamental da Secretaria de Educação. Na quinta-feira, 28, o projeto chega ao bairro Jardim Costa Rica, na Escola João Oriani, e na sexta-feira, 29, é a vez da Escola Nathálio Zanotta Sabino, no distrito de Ibitiruna. As demais unidades ficam nos bairros Jupiá, Tanquinho, Nova Suíça, Vila Sônia, Parque Piracicaba, Glebas Califórnia, Pau Queimado, Anhumas, Petrópolis, Pauliceia, Bosques do Lenheiro, Boa Esperança, Piracicamirim, Cidade Alta e Nho Quim.
Segundo Jamil Maluf, a formação de público em música erudita é uma das premissas da reestruturação da Sinfônica de Piracicaba, projeto por ele concebido em 2015 e que inclui concertos mensais gratuitos no Teatro Erotídes de Campos, no Engenho Central. “A nossa preocupação está na democratização do acesso à cultura. Ninguém gosta de algo que não conhece e, ao visitar as escolas, nossos quartetos demonstram o quão agradável é a música erudita, despertando a curiosidade das crianças. É de pequeno que se formam bons hábitos”, diz o maestro.
A Secretaria de Educação também abraçou o ABC do Dó Ré Mi, projeto da OSP criado para proporcionar o contato dos estudantes com a música de concerto e guia-los ao maravilhoso mundo dos sons. O trabalho é desenvolvido por 18 músicos e um ator. Neste caso, as crianças assistem as apresentações no Teatro do Engenho, denominadas de “showcertos”. São duas sessões mensais até novembro, totalizando 5.200 estudantes. O ABC do Dó Ré Mi tem o apoio da Secretaria Municipal da Ação Cultural.

Deixe um comentário