Salão de Humor recebeu 200 mil pessoas

Mostra esteve em cartaz até 20 de outubro - foto Dirso BarelliO Salão Internacional de Humor de Piracicaba encerrou, ontem, sua 40ª edição somando cerca de 200 mil visitas. O evento, considerado um dos maiores e mais antigos do gênero no mundo, realizou em 2013 a maior mostra de sua história com 442 trabalhos selecionados para a mostra principal. O Salão incluiu também 30 exposições paralelas e outras 30 ações, como a 2ª Caminhada de Humor, o 3º Concurso de Microcontos de Humor e o 4º Festival Paulista de Circo. A realização é da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural) e do Cedhu Piracicaba (Centro Nacional de Humor Gráfico).

A direção do Centro de Humor explica que o número total de visitantes do Salão deve ser bem maior que o contabilizado, uma vez que mostras paralelas foram montadas em locais de grande circulação, como estações do Metrô de São Paulo, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e a rodoviária municipal de Piracicaba. Somente na Estação Luz, que abrigou a mostra Caricaturas do Salão Internacional de Humor durante o mês de setembro, circulam 337 mil pessoas por dia.

Travessura heroica no ápice do regime militar, o Salão de Humor foi criado em 1974 por jornalistas e intelectuais de Piracicaba. Em 2013, 966 artistas gráficos de 64 países apresentam 142 cartuns, 97 caricaturas, 74 charges, 73 tiras/HQs e 53 com o tema futebol. Houve ainda obras selecionadas para o Prêmio Saúde Unimed. Quem levou o Grande Prêmio – Troféu Zélio de Ouro (R$ 10 mil) este ano foi o cartunista sérvio Goran Divac, primeiro colocado na categoria Cartum.

“É um grande orgulho ver o Salão de Humor de Piracicaba chegar aos 40 anos cumprindo sempre seu papel fundamental na valorização do humor gráfico”, afirma Rosângela Camolese, secretária da Ação Cultural. “Nosso Salão de Humor tem conquistado cada vez mais admiradores em todos os cantos do planeta, o que pode também ser explicado pelo trabalho de uma equipe incansável, sempre com o objetivo de fomentar cada vez mais o Salão e a cultura de uma forma geral”, conclui a secretária.

“Quando começamos a preparar a 40ª edição, queríamos que fosse especial, que refletisse a alegria de quatro décadas ininterruptas de mostra. Quantos artistas já mostraram seus trabalhos aqui e têm um pedaço de seus corações em Piracicaba?”, diz o jornalista e publicitário Carlos Colonnese, presidente do Salão 2013 e um dos fundadores do evento. A 41º edição será presidida pela jornalista Evaldo Vicente, diretor de A Tribuna Piracicabana. “Trabalharei para a expansão das paralelas, no Brasil e no exterior, para tornar o Salão ainda mais universal”, afirma Vicente.

ESCOLAS – Os estudantes de Piracicaba e região marcaram presença no 40º Salão de Humor em visitas agendadas por 15 escolas estaduais, 26 municipais e 35 particulares de Piracicaba, Sumaré, Tietê, Rio das Pedras, Rio Claro, Torrinha, São Pedro, Águas de São Pedro e Americana. No total, 7.214 alunos percorreram a mostra em visitas agendadas.

A preocupação do CEDHU Piracicaba em promover o contato dos estudantes com o universo do humor gráfico se dá em diferentes frentes de ação, além do Salãozinho de Humor, a versão mirim do evento. Em 2013 ocorreu a quarta edição do curso Humor na Sala de Aula, oferecido a 80 professores. Há três anos, o Centro de Humor também leva para as escolas uma exposição do Salãozinho de Humor, como forma de aproximar o humor gráfico dos alunos.

As ações tiveram como parceiras a Secretaria Municipal de Educação e a Diretoria de Ensino de Piracicaba, por meio da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

Como espaço permanente de formação de artistas e forma de potencializar novos talentos, o Cedhu Piracicaba promoveu, entre setembro e outubro, quatro workshops sobre o universo do humor com Daniel HDR, Danilo Beyruth, Gustavo Duarte e Avelino.

Das 30 mostras paralelas ao Salão, a metade ocupou o próprio Engenho Central, às margens do rio que dá nome à cidade. Entre elas, estava o 11º Salãozinho de Humor, feito em parceria com a CCR AutoBAn, Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e Secretaria Municipal de Educação. A versão mirim expôs 232 obras de estudantes de sete a 14 anos, selecionados entre as 2.514 inscritas e trouxe ainda nove espetáculos infantis gratuitos aos domingos, pelo projeto Diversão em Cena da Arcelor Mittal.

As demais mostras em Piracicaba foram abrigadas em espaços como a Câmara de Vereadores, Poupatempo, Museu Prudente de Moraes, Casarão do Turismo, Esalq/USP, Shopping Piracicaba, Marcenaria – Live Music & Club e Biblioteca Municipal Ricardo Ferraz de Arruda Pinto.

Ultrapassando as fronteiras piracicabanas, os trabalhos que fizeram parte da história do Salão estiveram na capital paulista em mostras que circularam pelo Metrô, nas estações Clínicas, Corinthians-Itaquera e Luz, além da Assembleia Legislativa e na cidade de Araraquara.

Deixe um comentário