Virada Cultural em Piracicaba terá Nação Zumbi, Guilherme Arantes e muito mais

Uma verdadeira maratona cultural! Assim pode ser definida a Virada Cultural Paulista, que acontece em Piracicaba nos dias 24 e 25 de maio com 100 atrações gratuitas em 22 palcos. Entre os destaques estão grandes nomes da música brasileira, como a banda Nação Zumbi e o cantor e compositor Guilherme Arantes. A cidade também recebe a banda O Terno, Flávia Bittencourt, DJs, exibição de filmes de sucesso com o projeto Curtas Pontos MIS e muito mais. O evento é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a Prefeitura de Piracicaba, por meio da SEMAC (Secretaria Municipal da Ação Cultural), MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo) e com o Sesc-SP.

“Piracicaba e os piracicabanos já se acostumaram a receber grandes nomes na Virada Cultural Paulista e o público tem comparecido em peso desde 2010, primeiro ano que a cidade participou da maratona. E mais uma vez teremos grandes nomes da cultura nacional em nossa cidade. A expectativa é de manter uma ótima participação do público, algo que se tornou uma constante no evento”, afirma a secretária municipal da Ação Cultural, Rosângela Camolese.

No palco externo do Engenho Central, a banda pernambucana Nação Zumbi se apresenta às 0h de sábado para domingo, em um show que traz uma mistura de rock e maracatu. Formada em Recife há 15 anos, ela toca seus maiores sucessos como “Quando a Maré Encher”, “Bossa Nostra”, “Rios, Pontes e Overdrives”, “Manguetown”, “A Praieira”, “Da Lama ao Caos”, além das canções do mais recente álbum, lançado este mês pela Natura Musical.

Também no Engenho, às 17h de domingo, o rock retrô da banda O Terno pretende encantar o público. O trio formado pelo vocalista e guitarrista Tim Bernardes, o baixista Guilherme Peixe e o baterista Victor Chaves iniciou a carreira em 2006, tocando versões da década de 1960 como Os Mutantes e Caetano Veloso, além dos britânicos Beatles e The Kinks. A influência desses músicos é perceptível no estilo das canções de seu álbum, “66”, que traz 12 faixas com títulos como “Eu Tomei Coca, Você Encheu a Cara”, “Morto”, “Eu não Preciso de Ninguém” e “Modão de Pinheiros”.

Músico e compositor que emocionou gerações de fãs e gravado por dezenas de artistas,Guilherme Arantes apresenta sucessos do seu novo trabalho, “Condição Humana”, às 18h30 de domingo, no Engenho. Ele traz as músicas “Tudo que eu só Fiz por Você”, “Castelo do Reino”, “Cruzeiro do Sul” e “Olhar Estrangeiro”. O repertório conta ainda com clássicos “Meu Mundo e Nada Mais”, “Planeta Água”, “Amanhã” e “Cheia de charme”.

A banda Fusile se apresenta no sábado às 21h em uma mistura exótica de estilos musicais e idiomas. Com uma performance ao vivo contagiante, o grupo tem se destacado como um dos nomes do novo rock do Brasil.

A cantora e compositora brasileira Flávia Bittencourt, nascida em São Luís, no Maranhão, apresenta canções do seu primeiro trabalho, intitulado “Sentido”, que mescla a cultura popular, o pop, músicas nordestinas e composições próprias. O repertório do show inclui algumas músicas autorais – “Vazio”, “Sentido” e “Pamonha” – e contempla outros compositores como Zeca Baleiro, Josias Sobrinho, Martinho da Vila, Chico Maranhão e Raimundo Macarra. Ela sobe aos palcos do Engenho às 15h30 de domingo.

O show de stand-up com o comediante Marcelo Mansfield traz um “nocaute no nariz da sociedade” com observações do dia a dia que o ator colecionou como mestre de cerimônia no “Clube da Comédia”. Temas como política, viagens, programas de tv e sexo são abordados durante os 60 minutos de espetáculo. A apresentação acontece no sábado, às 23h30, no Teatro Municipal Erotídes de Campos, que fará a distribuição de ingressos uma hora antes do início de cada atração.

A VCP conta ainda com atrações cênicas e entre os principais destaques, o monólogo “O Natal de Harry”, do inglês Steven Berkoff, interpretado por Marat Descartes e dirigido por Georgette Fadel, fala sobre a história de Harry, um homem solitário e melancólico que, em uma véspera de natal, trava um diálogo interno, propondo questões respondidas por ele mesmo. Numa espécie de auto psicanálise, ele vive um embate patético e angustiado consigo mesmo, em sua tortuosa tentativa de compreender e combater sua solidão. A peça será no domingo, às 16h. A classificação indicativa é 12 anos.

Uma novidade para a VCP deste ano é a participação do projeto Curtas Pontos MIS com apresentações de filmes de sucesso como os curtas metragens “Amor de Thanatos”, “Um dia… E Logo Depois Um Outro/Moto Perpétuo”, “O Gigante e A Ilha” e “João, o galo desregulado” e “Destimação/Paleolito” entre outros para integrar a programação.

Para saber mais sobre a Virada Cultural Paulista basta acessar o site da Secretaria da Ação Cultural, no endereço www.semac.piracicaba.sp.gov.br ou o blog local da Virada (viradaculturalpiracicaba.blogspot.com). Também é possível acompanhar as informações e mudanças na programação através da página Virada Piracicaba no Facebook [email protected] no Twitter. Para as atrações no Engenho Central, o acesso será pela Passarela Estaiada Aninoel Dias Pacheco e Ponte do Mirante. A exemplos dos anos anteriores, não será permitida a entrada de pessoas com garrafas e demais objetos de vidro ou outros materiais cortantes. Bolsas grandes serão revistadas.

ATRAÇÕES LOCAIS – Piracicaba garantiu o primeiro lugar em público em 2012 e 2013 entre as cidades paulistas que sediaram a Virada Cultural Paulista. No ano passado, 164 mil prestigiaram as 90 atrações. Desta vez serão 100 atividades, divididas em 22 sedes como a Pinacoteca Municipal, Museu Prudente de Moraes, Casa do Povoador, Centros Culturais, Mercado Municipal, Estação da Paulista (com dois diferentes armazéns) varejões entre outros. O tradicional Palco 2 do Engenho Central, criado em 2011 para permitir maior visibilidade dos músicos locais, terá as bandas H7, One Minute Less, Super Zé, Bambas, Victor e o Gramofone e Nilton Santin.

SAIBA MAIS – A Virada Cultural Paulista é realizada em parceria entre o Governo do Estado de São Paulo e os municípios participantes. Enquanto o Estado arca com todos os custos de contratação dos artistas e monta a programação cultural principal, as prefeituras custeiam todo o investimento na montagem da infraestrutura de palco, som e luz, além de garantirem a segurança e a limpeza nas áreas do evento. Por fim, o Estado estimula os municípios a montar programações paralelas, com artistas locais, de forma a dar visibilidade à produção cultural local.

A oitava edição da Virada Cultural Paulista – o maior evento cultural do interior do Estado – acontece em 28 municípios e, pela primeira vez, em dois fins de semana: metade das cidades em 24 e 25 de maio; e outra metade em 31 de maio e 1º de junho. As cidades participantes são Assis, Americana, Araçatuba, Araraquara, Barretos, Bauru, Botucatu, Campinas, Caraguatatuba, Diadema, Franca, Ilha Solteira, Indaiatuba, Jundiaí, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Santa Bárbara D’Oeste, Santos, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba.

Deixe uma resposta