Em nome de Gal

fruta gogoia

Biscoito Fino

A primeira boa notícia de Fruta Gogóia é a união de Renato Braz e Jussara Silveira, vozes que até hoje se mantém à margem da mídia ao optar por uma carreira sem concessões comerciais. Eles têm caminhos quase iguais: são elogiados mas ao mesmo tempos vistos como “sem graça” por aqueles que apreciam malabarismos vocais.

O título parece misterioso, mas se trata de um samba de roda que Gal Costa cantava em seu inesquecível espetáculo Fatal, do começo dos anos 70. E o trabalho é isso: uma homenagem à diva tropicalista em seus 50 anos de carreira. As 18 faixas marcam grandes momentos da baiana e tantos os intérpretes quanto o produtor Luiz Nogueira admitem que foi difícil escolher. Com tanta coisa boa… Mas os dois cantores preferiram destacar algo que mais chama a atenção em seus cantos: a delicadeza.

O disco não traz apenas Renato e Jussara como uma dupla. Eles brilham juntos em Estrada do Sol e Tema de Amor de Gabriela (ambas de Tom Jobim). Jussara tem momentos solo em Folhetim (Chico Buarque) e Passarinho (Tuzé Abreu) Renato ousa se “apropriar”, como ele disse, de Baby (Caetano Veloso), marca de Gal, e não se esquece de Pérola Negra, que não poderia ficar de fora, já que foi ela a primeira a gravar o eterno Luiz Melodia). Outro detalhe precioso é que os arranjos são de Dori Caymmi e a capa de Regina Silveira, os mesmos de Domingo, primeiro disco de Gal.

Deixe um comentário