O rei do rock

elvis

Arquivo

E quem disse que Elvis morreu? Morreu pra você, fã ingrato! Essas 10 canções provam que o rei do rock está mais vido do que nunca.

 

1 – SUSPICIOUS MINDS (1969)

A canção foi composta por Mark James, que a gravou em 1968 sem grande repercussão. Aí o produtor Chips Moman a sugeriu a Elvis, e foi parar no topo da parada da Billboard em agosto de 1969. Foi um divisor de águas na carreira de Elvis, que desde 1967 vinha flertando com outros estilos, como gospel e country. Ganhou versão dance em 1986, com o grupo Fine Young Cannibals.

2 – JAILHOUSE ROCK (1957)

Jerry Leiber e Mike Stoller, os maiores criadores de hits para o rei do rock, são os autores. Foi lançada em 24 de setembro de 1957, preparando a estreia do filme homônimo, aqui chamado de Prisioneiro do Rock. A revista Rolling Stone a colocou na posição 67 entre as 500 melhores canções de todos os tempos. Alguns nomes citados são reais, como Henry Shift, um músico de Las Vegas.

3 – IS NOW OR NEVER (1960)

Versão de um clássico italiano, Ó Sole Mio, lançada em 1907 por Giovanni Anselmi. Foi vertida primeiramente para o inglês em 1949, como There’s no Tomorrow, sucesso de Tony Martin. Elvis quis regravá-la quando estava no Exército, mas não gostava da letra. A missão ficou para Aaron Schroeder e Wally Gold. Atingiu a primeira posição da Billboard em agosto de 1960.

4 – ALWAYS ON MY MIND (1972)

Outra ressurreição de uma canção por Elvis. É que a primeira gravação, de Brenda Lee, em 1971, passou em brancas nuvens. Chegou no momento em que Priscila, a esposa, pediu o divórcio, cansada das infidelidades dele. A dupla britânica Pet Shop Boys a regravou nos anos 90. A dupla Zezé Di Camargo e Luciano fez uma versão com o título Eu Só Penso em Você.

5 – BLUE SUEDE SHOES (1956)

A música era a primeira do lado A do disco de estreia de Elvis. Criada por Carl Perkins, foi logo considerada um dos rocks mais importantes. Curiosamente, o disco também tinha Tutti-Frutti, que acabou ficando mais famosa na voz de Little Richard. A reação da crítica americana não foi tão positiva, e alguns não perdoaram o que julgaram ser cacoetes do cantor. Queimaram a língua.

6 – LOVE ME TENDER (1956)

Foi criada para o primeiro filme de Elvis, aqui lançado como Ama-me com Carinho. É até hoje identificada com a persona do cantor e mostra seu lado mais romântico. Elvis a apresentou pela primeira vez no programa Ed Sullivan, o maior sucesso da TV americana dos anos 50, em 9 de setembro de 1956. No dia seguinte, a gravadora RCA recebeu mais de um milhão de pedidos.

7 – CAN’T HELP FALLING IN LOVE (1961)

Destaque da trilha sonora do filme Blues Hawaii (no Brasil Feitiço Havaiano), liderou as paradas tanto nos Estados Unidos quanto no Reino Unido. É uma versão da canção Plaisir d’Amour, composta pelo francês Jean Paul Martin. O grupo UB 40 fez uma cover de boa repercussão nos anos 90. Foi incluída na trilha de vários filmes, como o desenho Lilo & Stitch, e faz sucesso até hoje.

8 – UNCHAINED MELODY (1977)

Elvis a gravou no show de junho de 1977 em Las Vegas. Mas, curiosamente, não foi incluída no especial Elvis In Concert. Só foi lançada, postumamente, em março. Foi lançada primeiramente por Al Hibber em 1955. É uma das músicas mais regravadas em todo o mundo, com mais de 500 versões. Uma das responsáveis pelo sucesso do filme Ghost (1990), com Ridgeous Brothers.

9 – HOUND DOG (1957)

Outro sucesso de Elvis criado pela dupla Jerry Leiber e Mike Stoler. Mas a primeira gravação aconteceu em 1952, em ritmo de blues, por Willy Mae Thornton. A Rolling Stone a colocou na 19ª posição na lista das melhores canções de todos os tempos. Já apareceu em dezenas de trilhas sonoras de filmes: Forrest Gump, American Graffiti, Homens de Honra, e muitas outras.

10 – ARE YOU LONESOME TONIGHT (1960)

É uma canção clássica americana, composta em 1926 por Roy Turk e Lou Redman. Al Jolson, conhecido por ser o astro do primeiro filme sonoro, O Cantor de Jazz, foi o primeiro a gravá-la. A versão de Elvis foi lançada em novembro de 1960. Dizem que foi a única música sugerida por seu empresário, Coronel Tom Parker, para ser incluída em seu repertório.

Deixe um comentário