100 anos da Imigração Japonesa em Piracicaba

imigracaoO livro 100 anos da Imigração Japonesa em Piracicaba reúne referências históricas ao lado de depoimentos de imigrantes e familiares, além de estórias vivenciadas pelo autor da obra, Cecílio Elias Netto, com seus amigos japoneses. O livro também tem a coautoria dos jornalistas Ronaldo Victória e Arnaldo Branco Filho e tem edição trilingue – português, inglês e japonês.

Com a coordenação editorial da B2 Comunicação, a obra contou com o apoio cultural das empresas Comgás, Copersucar, Oji Papéis Especiais, Raízen, São Martinho, Tereos e Unimed Piracicaba, além do patrocínio de grupo expressivo de pessoas físicas – por meio da Lei Rouanet, Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O livro foi lançado no dia 07 de setembro, no Salão Nobre da Câmara de Vereadores de Piracicaba. Nesta data a Câmara realizou reunião solene para homenagear os 100 anos da chegada das primeiras famílias japonesas à cidade. Foi no dia do feriado da Independência que 23 famílias, reunindo 105 japoneses, desembarcaram em Piracicaba.

Mais que uma missão

“Escrever sobre os 100 anos da Imigração Japonesa em Piracicaba, para mim, foi muito mais que uma missão. Foi, também, um prêmio. Resgatar a história de bravura, persistência, tradição e cultura do povo japonês, através dos nipo-piracicabanos, precipitou, a mim e em mim, um turbilhão de saudade, um arrebatador – mas suave – vendaval de lembranças”, destaca o autor.

Segundo Cecílio Elias Netto, quando os japoneses deixaram a Terra do Sol Nascente, em busca de riqueza, nem todos enriqueceram financeiramente. “Mas – por seus atributos morais, éticos e culturais – contribuíram (e muito) para o enriquecimento de nossa cultura e – com suas técnicas de cultivo da terra – para a evolução agrícola do município”.

O autor destaca, ainda, que, em Piracicaba, há um mistério de sedução. “De um lado, o filho ausente a suspirar por ti. De outro, os que para cá vieram por escolha, por opção, amando-a tanto e quanto, ou mais, do que os que aqui nasceram. É como se, escolhendo-a para seu lar, os que para cá vêm tivessem mais cuidados, mais zelo e mais amor. Em Piracicaba – a terra que tanto adoramos – o sol brilha para todos”, conclui.

Clique para conferir o livro na íntegra.

Deixe uma resposta