A escola profissional de Teixeira Mendes

Octavio Teixeira Mendes, professor da ESALQ durante os primeiros anos da Instituição, inventor, homem voltado à pesquisa e a educação foi o responsável, em Piracicaba, nos anos 30, pela criação da Escola Complementar de Profissões Elementares. Tratava-se de um sonho, nascido a partir de sua prática de ensino – como professor da ESALQ, do Colégio Piracicabano, na preparação daqueles que desejavam cursar a Luiz de Queiroz – que pretendia formar bons profissionais técnicos.

A primeira autorização oficial para seu funcionamento ocorreu em 1935 e, à disposição dos 17 alunos que se matriculam no ano seguinte, ministravam-se aulas de Física, Química, Português, Inglês, Francês, Álgebra, Geometria, Trigonometria, História Natural e História do Brasil. O próprio Teixeira Mendes produz materiais didáticos: sólidos geométricos, um aparelho para ensinar geometria descritiva, comprou um microscópio vindo da Alemanha, recebeu em doação um telégrafo Morse completo. No mesmo ano, certo de já ter capacidade para formar “ajudante de administração habilitado em Agrimensura”, consegue o registro da Escola de Agrimensura Paula Souza. O primeiro agrimensor ali se forma em 1937: é Reynaldo Pimenta Rezende, de São Sebastião do Paraíso.

Sua grande inspiração foi a formação de técnicos. Teixeira Mendes não entendia como o Estado ainda não se dera conta da importância de tais profissionais, e lamentava que o país “ainda correrá atrás de mecânicos para suas necessidades”. Assim, além dos alunos regulares, a maioria aprovada com facilidade para os exames de ingresso para a Escola Agrícola, Teixeira Mendes abriu sua escola, de maneira gratuita, a vários operários semi-alfabetizados, a quem eram dadas noções de matemática, física e mecânica.

A escola funcionou até 1943.

Deixe um comentário