A primeira Padroeira

Foi Antonio Correa Barbosa o responsável pelo “povoamento” de Piracicaba, então, em 1767, uma simples povoação que servia ao atendimento de Iguatemy. O Capitão geral da Capitania de São Paulo, Luiz Antonio de Souza Botelho, o Morgado de Mateus, pretendia a abertura de um picadão até Itu. Satisfeito com o trabalho de Antonio Correa Barbosa e a sua turma de “criminosos”, determinou o levantamento da primeira capela da povoação.

As ordens foram claras, datadas de 26 de Julho de 1770: “Vmce. procurará o melhor sítio, na frente da praça principal, e delineará de modo que possa servir mais tarde de Capela Mór, a todo tempo que quiserem acresentar o corpo da Igreja para fazer freguesia. A invocação há de ser Nossa Senhora dos Prazeres, minha Madrinha e a Padroeira da minha Casa, e a sua imagem há de ser colocada no altar mor, pois tenho a intenção de a fazer venerar em toda parte que puder; dos lados, ou nos altares colaterais, se há de colocar os dois santos de meu nome, que são SS. Luiz rei de França, e Santo Antonio de Pádua.”

A lenda diz, no entanto, que Antonio Correa Barbosa acabou dando um golpe em Nossa Senhor dos Prazeres, entronizando Santo Antonio – do qual santo levava o primeiro nome – como Orago da povoação. Mas essa é outra história…

 

 

Deixe um comentário