Acervo sempre destacado: móveis de Luiz de Queiroz

Ao longo dos anos, enfrentando crises e falta de verbas, o Museu Histórico Prudente de Moraes, criado em 1953, sempre teve alguns objetos em seu acervo que mereceram especial cuidado de seus responsáveis.

Em 1971, por exemplo, matéria publicada com grande destaque sobre o local, indicava, entre as suas preciosidades, disponíveis para serem conhecidas pela população, móveis e lampião usados por Luiz de Queiroz, um galheteiro que fora de Alfredo Cardoso assim como sua máscara mortuária, a flauta do compositor Erotides de Campos, um relógio do Barão de Rezende, as condecorações recebidas pelo escritor Thales de Andrade, além de variados equipamentos utilizados pelos piracicabanos que participaram da Revolução de 32, como capacetes, granadas e uma coleção de armas.

 

Deixe um comentário