Administração econômica, até demais

Prédio da Câmara Municipal, foto 1914

Uma das mais belas edições que retratam a cidade, o Almanaque assinado por Roberto Capri, de 1914, impresso em Roma, traz uma curiosa descrição da Câmara Municipal de Piracicaba àquela época. Segundo o autor, a administração municipal primava “pela honestidade e economia, quiçá com algum exagero na observância e prática desta última virtude”.

Segundo o texto, a Câmara mantinha três escolas e as subvencionava. Além disso, auxiliava também financeiramente a Santa Casa de Misericórdia e construíra o hospital do Isolamento, assim como o edifício do grupo escolar Moraes Barros – “gastando nessa obra cerca de 120.000.000 réis, inclusive 10.000.000 réis doados pelo saudoso senador de que o estabelecimento, com inteira justiça, conserva o nome”. Entre as outras atividades listadas, destacavam-se, A chamada Ponte Nova, foto de 1914 como atribuições da Câmara, a manutenção de tributos feitos com moderação aos munícipes. Um senão: a municipalidade não contava com um engenheiro e nem advogado efetivos a seu serviço.

Deixe um comentário