Em Piracicaba, as terras mais valorizadas no país

A avaliação teve origem no Incra, em 1972. Segundo o órgão estatal, citado pelo jornal O Estado de São Paulo, “as terras mais valorizadas do Brasil – excetuando-se algumas áreas periféricas das capitais da Guanabara e São Paulo, de Niterói, Belo Horizonte e Curitiba – são das regiões açucareiras de Piracicaba e do norte pioneiro do Paraná, avaliadas em 600 cruzeiros por hectare, sem benfeitorias”.

A estatística indicava que as mais baratas localizavam-se no Piauí e Amazonas, ao custo de 5 cruzeiros o hectare. No Estado de São Paulo, a avaliação era de que o hectare na região de Campinas e Valinhos encontrava-se em torno de 500 cruzeiros; em Ribeirão Preto, em 350 cruzeiros; na Alta Araraquarense, em torno de 200. O hectare em Brasília foi avaliado em 100 cruzeiros.

 

Deixe um comentário