Fazenda isabel, aos olhos de Lagreca

Foto: Rosina Vilela/ Olhares – Imagem Ilustrativa

Ao início do século XX, uma das grandes propriedades, próximas a Piracicaba, era a Fazenda Santa Isabel* , de propriedade de Cristiano Cleopath. Em 1914, o poeta Francisco Lagreca deixou registrada uma descrição da propriedade, que de certa maneira também descreve as grandes fazendas de café da época, então existentes na região.

…”a estrada ampla e bem conservada, talvez a melhor do município de Piracicaba, já eu a conhecia dos velhos tempos passados, quando das férias colegiais vinha revigorar a fibra na pureza destes ares adoráveis. Depois de uma hora de viagem …. ao passar a primeira porteira, que serve ao mesmo tempo de divisa da Fazenda, de lado a lado, circundando a estrada, se estendem, numa considerável distância, as pastagens da Fazenda, caprichosamente divididas por cercas de arame farpado, exuberantes de seiva e onde o catingueiro encontrou terreno apropriado para se desenvolver e apresentar ainda uma prova de sua pujança vegetal. Aproximadamente cem reses se achavam reunidas nos campos, e era de ver-se toda aquela gadaria roliça nédia, robusta e da melhor raça bovina e que causa arrepios de admiração aos que não crêem que no Brasil muito bem se aclimata o gasto estrangeiro. Assim é que tive ocasião de admirar diversos bois zebus, verdadeiros gigantes, de musculatura hercúlea, e tão iguais, tão semelhantes uns aos outros, pela altura, que dificilmente se poderá notar a menor diferença entre eles…..

É de se notar que por todos aqueles pequenos recantos de pastagens não há escassez de água, o que demonstra o quanto a natureza favoreceu aqueles lugares. Não são represas, tanques ou caixas acimentadas, servindo de bebedouros. São ribeirões que deslizam clara e limpidamente em diferentes direções e que com tanta eficácia concorrem para a saúde e força dos animais…..

… ao longe, num trajeto de um quilômetro mais ou menos, avistam- se as casarias da Fazenda, colocadas num ponto alto, simetricamente enfileiradas e tão alvas como se todas elas fossem habitações construídas recentemente….

… num plano magnífico, pouco além da casa de residência do proprietário, tendo ao centro a tulha e grandes caixas d’água, para a lavagem do café, se estendem os terreiros. São feitos alguns com ladrilhos acimentados e outros foram construídos a pixe. Terreiros secos, bem conservados, o pixe lhes traz benefícios enormes e conserva a sua durabilidade. … Encostando a palma da mão à superfície dos terreiros a pixe senti um calor elevado, uma temperatura muito alta, suficiente para enxugar o café em apenas uma semana, ao passo que o café não se enxuga em tão pequeno lapso de tempo quando são espalhados em terreiros de ladrilhos acimentados.

Eis, aí, a grande vantagem dos últimos, representantes como verdadeiros

modelos na Fazenda do Sr. Christiano Cleopath. ….o cafezal é o que se pode haver de mais soberbo e viçoso possível. Existem cem mil pés de café, que produzem anualmente uma média de nove mil arrobas. Entre os diversos talhões de café se contam trinta mil pés que por si sós formariam uma fortuna considerável, pois são novos ainda e não há falta de um pé em todo

aquele trecho do cafezal…. Não se nota no cafezal da Fazenda o desleixo de muitos agricultores, pois as ruas são limpas, direitas, sem tortuosidade, e não se observam galhos secos, emaranhados por entre as folhas mais altas do cafezal, causando má impressão da lavoura que se visita….

… Além de um grande número de casas enfileiradas em linha reta, há outras em diferentes pontos, tornando mais aprazível o aspecto interior da Fazenda. A maior parte das casas de colonos é feita de tijolos e bem cobertas de telhas embolsadas, e todos os anos são caiadas e pintadas de novo. Nessas casinhas passam a existência mais de cem pessoas empregadas na Fazenda.Os colonos estimam, consideram seu patrão, pois há colonos que moram lá há 18 anos e alguns deles se retiraram levando no bolso os recursos com que se alcança a independência na vida.

É assim que uma propriedade agrícola prospera vai para diante. É assim que se deveria fazer para que não houvesse a grandes escassez de braços que avassala a lavoura presentemente….”

*- A modelar Fazenda Santa Isabel localizava-se nas imediações da antiga estação ferroviária de Tupi, estendendo-se até as proximidades de Rio das Pedras. De Cristiano Cleopath, passou à família Arruda Botelho, seus parentes (entre elas, Geny Botelho de Castro Neves e Dalila Botelho de Toledo), sendo adquirida pela Família Morganti e anexada às fazendas de Monte Alegre.

Deixe um comentário