O rio, o til de José de Alencar

Na chamada dinastia açucareira, uma das personagens centrais foi Antonio Costa Pinto e Silva, grande proprietário de terras em Piracicaba. Ele foi presidente (governador) da Paraíba do Norte, da província do Rio Grande do Sul, de São Paulo, do Rio de Janeiro. Foi casado com d. Maria Nazareth de Souza Queiroz e, em segundas núpcias, com a viúva do Marquês de Monte Alegre, d. Maria Isabel de Souza Alvim. Morou em Piracicaba, em residência onde está atualmente o Teatro São José. Foi dono do Engenho de Monte Alegre onde hospedou o escritor José de Alencar e o barão de Tschudi. Foi no Engenho que Alencar compôs o romance “Til” – que é o sinal gráfico que fazem as curvas do rio Piracicaba – cuja ação se desenrola na zona rural de Piracicaba e Santa Bárbara d´Oeste. Para Alencar, a casa de Costa Pinto era “uma relíquia histórica”. Ao personagem, Alencar deu o nome “Til”.

 

 

 

Deixe um comentário