Os leprosos de Manuel, o bom

Há uma rua em Piracicaba com o nome de Manuel Ferraz de Arruda Campos. Os feitos e realizações desse homem, no entanto, não têm sido revelados às gerações que se seguiram. Maneco Ferraz foi um dos mais generosos filantropos de Piracicaba. Nascido em 13 de março de 1816, acabou por dedicar sua vida aos leprosos. (Um de seus filhos adquirira a doença.) Como os escravos leprosos eram alforriados, Maneco Ferraz, acompanhado de seu escravo de nome Elizeu, ia procurá-los nas matas, recolhendo-os, dando-lhes alimentos, cortando-lhes as unhas e cabelos. Graças a ele, foi criado o “Isolamento”, em 1885, “uma faixa de terreno de 50 por 300 braças, além do Bairro dos Alemães”, adquirido pela Prefeitura. Maneco Ferraz morreu no dia 14 de junho de 1887 quando, ao demolir um pequeno leprosário para construir outro, as paredes ruíram, soterrando-o.

 

 

 

 

Deixe um comentário