Peixes que a cidade consumia quando o rio estava vivo

Entre os anos 1949 e 1953, há dados interessantes a respeito do comercio do pescado do rio Piracicaba. A cidade consumia aquilo que lhe vinha de um rio que ainda estava vivo. Para se ter uma ideia dessa produção e desse consumo, basta ate-se aos dados dos peixes vendidos apenas no Mercado Municipal em, por exemplo, 1950:

Cascudo – 3.677 quilos

Corumbatá – 37.900 quilos

Dourado – 4.370 quilos

Mandi 15.342 quilos

Jaú – 3.482 quilos

Pintado – 7.320 quilos

Esses números, diante de um rio que ficou enfermo, não apenas aumenta a saudade, como deveriam fortalecer os ânimos para a luta pela ressurreição do rio de Piracicaba…

Deixe um comentário