Primeira eleição com computadores aconteceu em 76

Quando, seis meses antes das eleições municipais de 1976, Piracicaba pode confirmar que, pela primeira vez, as apurações se beneficiariam do então incipiente universo da informática, o fato mereceu as manchetes dos jornais.

O projeto levara quase quatro anos para ser desenvolvido pelo Centro de Processamento de Dados da ESALQ, em colaboração com o Grupo Dedini, que também cederia seus equipamentos.

A demonstração do sistema, que fora autorizado junto ao Tribunal Regional Eleitoral, através da mediação do juiz Luiz Roberto de Almeida, envolveu juízes de outros municípios paulistas, assim como representantes do TRE e técnicos da Universidade. A participação dos computadores se daria pela transferência dos dados de cada urna a cartões perfurados, que garantiriam a totalização dos votos pela leitura dos computadores, assim como a definição do quociente eleitoral de cada partido para eleição dos vereadores.

A eleição de então envolvia apenas dois partidos, Arena e MDB. João Herrmann Netto, candidato do MDB, foi eleito prefeito pela diferença de 86 votos, num colégio de cerca de 75 mil eleitores. A Arena recorreu e pediu a verificação dos votos válidos. Mas teve até mesmo o pedido indeferido. E Piracicaba entrou na era da informática.

 

 

 

Deixe um comentário