Quando professoras tinham que ser solteiras

Em 1927, no Colégio Piracicabano criou-se o concurso ginasial. Naquela época, quem não tivesse diploma de ginásio não podia seguer inscrever-se para o exame vestibular nos cursos superiores. As únicas escolas que ainda admitiam condidatos não formados em ginásio eram Escola Agrícola de Piracicaba e a Escola de Farmácia e Odontologia, também em piracicaba.

Até então, o Colégio Piracicabano oferecia um curso de dez anos de duração, segundo seu ex-professor Noedy Krahenbuhl Costa, que tinha a dupla finalidade de preparar as mulheres para serem professoras ou boas dona de casa pois além de instrução intelectual e religiosa, elas recebiam arte culinária, pintura, música e desenho. Este curso admitia, até o quinto ano, freqüência mista de meninos e meninas. Nos cinco anos finais, só moças podiam se matricular. O diploma conferido só valia, no entando, perante os colégios metodistas, pois não era equiparado ao das antigas escolas normais. E as professoras, mesmos nestes colégios metodistas só podiam lecionar enquanto fossem solteiras. Casando-se eram despedidas.

Deixe um comentário