“Reclame” do fumo o Quilombo em versos

Antigamente, fazer propaganda era “fazer reclame”. Os anúncios são muito antigos em Piracicaba, constando em jornais do século passado. Um desses “reclames”, no entanto, chamou a atenção no início do século: o fumo do Quilombo, vendido por um certo Raymundo, no Mercado. Diziam assim:

Fumo do Quilombo
Cada fumaça um tombo.
Só pode ser fumado
Por quem ‘stiver deitado.
E é o melhor do mundo
Quem vende é só o Raymundo
Do pateo do mercado,
(qual vende; é quase dado!)

Deixe um comentário