Joaquim Miguel Dutra

16/06/1864 a 29/04/1930

Neto de Miguel Archanjo B.A Dutra. Não teve a cultura dos filhos Alípio, João, Antonio de Pádua e Archimedes, mas teve a mesma alma poética. Foi pintor e decorador de paredes, igrejas, músico e escultor em madeira. Decorou igrejas de São Carlos, Caconde, Limeira e Capivari. Foi idealizador do “pano de boca” do Teatro Santo Estevão de Piracicaba (demolido para ampliação da Praça José Bonifácio). Foi o que mais pintou o Rio Piracicaba e seus arredores. Às vezes em série, para vendê-los a preços irrisórios, muitos ainda com as tintas frescas. Noutras ocasiões os trocava por pastéis e cerveja. Foi nomeado, por um período, em 1919, para substituir o professor de desenho da Escola Normal de Piracicaba. Recebeu homenagem no 10 Salão de Belas Artes de Piracicaba. Tem seu nome perpetuado em praça pública no Jardim São Paulo na cidade de Piracicaba.
Consentino diz ” … tinha o espírito de artista, o temperamento de artista, a despreocupação comum a tantos artistas. Essa é a atmosfera que vamos encontrar em seus quadros …”


Obras

Cerejas – 1928
óleo s/ tela – 38 x 46 cm
IX SBA – Acervo Casa das Artes Plásticas Miguel Outra







Paisagem de Piracicaba – 1924
óleo s/ tela – 31,5 x 48 cm
Acervo Casa das Artes Plásticas Miguel Outra

Deixe um comentário