Lídia Madeira de San Juan

13/10/55

Na aquarela, a artista, essencialmente retratista, encontra o seu meio de expressão. Do branco do papel, parte integrante do trabalho, surgem o traço, o gesto e um rosto. Nela, a figura e a abstração podem coexistir no mesmo trabalho, passando de uma a outra, segundo a soltura e a fluidez da pincelada.
A figura humana é o tema preferido. Através do desenho exato e da pincelada solta ela ganha força de expressão e delicadeza.
Segundo a artista, o aquarelista é o equilibrista que se sustenta no breve espaço entre a figura e o nada. A aquarela é fugaz, exata, definitiva. Participa de vários Salões de Belas Artes em Piracicaba e região desde 1996, recebendo Pequena Medalha de Bronze na Mostra 97 Almeida Júnior. Participou do Salão Internacional Maison et Objet – Paris em 1997 e recebeu Menções Honrosas em 1998, na Mostra Almeida Júnior e no Salão de Belas Artes em Piracicaba. Responsável pela pintura do Mural do Altar da Capela São Francisco de. Assis, com 88 m2, em 1999.

Obras

O Estudo – 1999
aquarela – 35 x 50 cm









Miguel – 1999
aquarela – 35 x 50 cm

Deixe um comentário