A lenda da figueira mal assombrada

“Existia na Fazenda São João uma grande figueira com fama de mal-assombrada. Fui criado na região e posso afirmar que pela figueira ninguém passava depois das 10 horas da noite.

Eu, que era jovem e vivia passeando de uma fazenda para outra, certa noite me deparei com um problema. Já era bem tarde e  eu estava longe de casa. Para voltar, ou passava pela figueira ou escolhia outro caminho e enfrentava os bandidos que se escondiam no mato para assaltar aqueles que por ali passavam, pois o lugar era ermo e escuro.

Depois de muito pensar resolvi enfrentar a figueira mal-assombrada. Eu também tinha medo de assombração, mas como nunca tinha visto uma, resolvi arriscar, mesmo porque os vivos me metiam mais medo.

Depois da decisão tomada, tirei a caixa de fósforos do bolso e separei os palitos num bolso e a caixa em outro, para não fazer barulho.Dali fui andando.

A figueira ficava no meio da estrada.De um lado havia um canavial e do outro um pasto comum a carreira de eucaliptos crescidos. Pisando bem de leve, como olhar firme em todas as direções, fui me aproximando da árvore mal-assombrada. Quando estava bem debaixo dela, sem querer pisei num galho seco e perdi o equilíbrio. O galho se quebrou com um estalido e de repente parecia que a figueira desabava em cima de mim.Fiquei paralisado de medo. Então era verdade! A figueira era mesmo mal-assombrada. Queria correr e não podia. Queria gritar mas nenhum som saia da minha garganta.

Alguns minutos se passaram e consegui me acalmar. Então um bando de morcegos apareceu de repente e pousou na figueira. Achei aquilo tudo muito estranho, arrumei coragem e resolvi continuar o meu caminho. Mal tinha levantado a perna quando a figueira novamente desabou sobre mim. Foi tamanho o meu susto que novamente fiquei ali paralisado de medo sem saber o que fazer.

Depois de quase meia hora ali parado é que fui percebendo tudo. A tal de assombração não passava do bando de morcegos. Quando eu me movia, eles se assustavam e saiam em revoada dando a impressão que a árvore caia sobre mim. Quando eu ficava imóvel eles voltavam para a copa da árvore e lá ficavam.

No dia seguinte quis contar para os amigos o segredo da figueira assombrada, mas com medo de que ninguém acreditasse em mim, acabei me calando. A lenda da figueira era muito comentada na região. Passados alguns meses acabei contando a história para um primo meu. Como eu previa, ele também não acreditou e resolvemos comprovar a minha descoberta voltando para a figueira, não para abusar mas para tirar a cisma.

Tudo aconteceu de novo tal e qual já tinha acontecido comigo anteriormente. A assombração realmente não passava de um bando de morcegos.”

5 comentários

  1. karla em 17/09/2012 às 20:16

    gostei !!!!!!!!!!!

    • lorena em 03/09/2013 às 13:16

      tbm

  2. Daniele em 13/05/2014 às 20:01

    Muito interessante! Segura a atenção… hahaha

    • camilecristina em 17/08/2014 às 16:18

      eu tam bem achei

  3. roberto em 19/12/2015 às 23:24

    legal gostei da historia

Deixe uma resposta