Caçando tatu com bujão de gás

Seu Mané gostava muito de contar suas aventuras de caçar. Disse ele, certa vez, a seu Tico:

– Sabe compadre, uma veis eu tava andano no mato e vi um tatu que correu no buraco. Eu segurei no rabo dele, mais num consegui, de jeito nenhum, tira o bicho do buraco. Então eu peguei um bojão de gais e esguichei o gais no buraco. Cumpadre do céu!

– O que qui aconteceu, comprade?

– O tatu saiu do buraco e eu peguei o bicho.

– Puxa, compadre!

– Bom, daí né compadre, adespoi disso, eu comecei levá o bojão de gais prá caçá o bicho e sempre caçava. Era só chegar com o bujão e o tatu saia correndo do buraco.

– E o senhor sempre pegava o bicho?

– Se pegava, compadre! Mais só que adespoi eu já nem levava mais o bujão, compadre.

– Não? E como o senhor fazia?

– Ah! O tatu já era tão acostumado que eu chegava perto do buraco e gritava: “Oia o gais!”. E o tatu já saia do buraco.

Deixe um comentário