Causos de cemitério (2)

Os causos ainda são de cemitério! Esse, quem conta foi Júlia Rodrigues. Ela disse  que, numa época, chegou a ir muito para o cemitério, pois arrumava serviço para lavar túmulos de gente conhecida. Num dia, aconteceu algo especial. “Eu encontrei uma amiga, que estava chorando muito. Ela me contou que descobriu estar grávida de dois meses, o namorado tinha viajado e não sabia como iria contar isso para a família”.

Compreendendo o problema da amiga, mas sem poder fazer muita coisa, Júlia apontou o túmulo que estava lavando e disse: “Reze para essa pessoa, foi uma alma boa e compreensiva e vai ajudar você a encontrar uma saída”.

No dia seguinte, a amiga procurou Júlia com uma novidade. “Ela me falou que tinha sonhado com alguém que nunca tinha visto antes. Me descreveu e eu confirmei as suas suspeitas de que era mesmo aquela pessoa. Então, me contou que ele afirmou no sonho que, dentro de três dias, o namorado iria aparecer e no prazo de quinze dias eles iriam se casar, e sem que ninguém desconfiasse de nada. Disse que era ela ter muita fé que tudo iria correr bem e as coisas acabariam se ajeitando”.

Se deu certo mesmo? Júlia garante que foi dito e feito. “Dali a duas semanas eu estava no casamento dela, que estava super feliz. E aquilo ficou como um segredo entre nós duas. Quer dizer, também junto com a alma poderosa. As almas boas têm muito poder”.

1 comentário

  1. Linneu Stipp em 22/09/2013 às 23:51

    Bom de Cemiterio tem aquela do bebum que tinha de atravessar o cemiterio para chegar na sua casa, um dia caiu em um buraco aberto pra enterro do dia seguinte,tentava sair, não conseguiu; então resolveu ficar enconstadinho aguardando a chegada dos coveiros. Dali a pouco um outro transeunte, não bebum caiu no mesmo buraco estava tentando sair não conseguia. Então o Bebum pretendendo alertar o Sadio Transeunte, disse: num dianta daqui oce num sai…

    e o cara saiu….

Deixe um comentário