Luciano e Sr. Entrosamento

SELAM

Uma das personalidades piracicabanas que se tornaram verdadeiros ícones de nossa história é Luciano Guidotti. Tornou-se figura lendária, não restando dúvida tenha sido o prefeito que provocou as mais profundas transformações urbanas em Piracicaba, em duas administrações, meados dos 1950 e início da década de 1960.

Quando o Brasil destaca a ascensão de Lula, metalúrgico que chegou à Presidência da República, essa conquista pessoal reporta à vida de Luciano Guidotti, nascido de família humilde, muito pobre, sem letras, instrução primária incompleta. E, no entanto, com inteligência brilhante e sagaz, Luciano Guidotti – de barbeiro, pequeno comerciante – se transformou numa das grandes fortunas de Piracicaba, tornando-se líder empresarial e político. Sua vida é uma saga.

Ao lado de todas as realizações e conquistas, Luciano Guidotti foi personagem de um saborosíssimo folclore político, permitindo o surgimento de um humor fino a partir de suas manifestações, de sua maneira de falar as coisas com simplicidade e com muitos erros, homem do povo. Em edição impressa, há anos passados, A PROVÍNCIA buscou coletar e registrar esse folclore que se criou em torno de Luciano. E o entrosamento do XV foi um dos mais divertidos.

Homem muito rico, Luciano chegou, também, à presidência do XV de Novembro. E queria montar um grande time, um esquadrão, que não era, ele, homem de contentar-se com pouco. Contratou técnico afamado, jogadores de alto gabarito, mas o XV continuava perdendo. Contratava mais gente, o XV perdia. Luciano também foi perdendo a calma, o técnico pedia paciência, explicando: “Falta entrosamento, Comendador, entrosamento.”

E a cantilena prosseguia a cada derrota: “Falta entrosamento.” Até que Luciano não agüentou mais e chamou o técnico: “Puta merda. Se é entrosamento que farta, veja quanto custa que eu compro.”

Deixe um comentário