Chique e requintado, o Clube de Campo

A idéia inicial de criar um espaço para esportes e recreação surgiu com Carlos Dias Correa Filho (Tal) , um frequentador de clubes esportivos em São Paulo, que quis desenvolver projeto semelhante na cidade. Havia uma área especial, voltada para o rio Piracicaba e pouco acima do Salto, que encantava a cidade: era a chácara do Conde Lara Campos, com 77.000 m2. O Conde Lara, praticamente no leito de morte, oferecera a área para o médico Be-Hur Carvalhaes de Paiva, um dos pioneiros na cardiologia em Piracicaba. A sugestão foi levada ao grupo liderado por Carlos Dias Corrêa, formado por 86 piracicabanos, que levantou o capital exigido, tornando-se seus sócios fundadores. Contratou-se André Kerekes para elaboração das obras e Julio Seabra Inglês de Souza para projetar os jardins. A mansão dos Lara Campos foi adaptada para ser a sede do clube e acolher “jogos de carteado, bilhar, leitura e bar”.

A inauguração chegou a se constituir, segundo os jornais da época , “na mais sugestiva e elegante festa social dos últimos tempos em Piracicaba”. O primeiro presidente Homero Correa de Arruda foi jogado, com seu terno de linho branco, nas águas da piscina para inaugurá-la e um show de dança e música, tocada ao acordeão, deu prosseguimento às festividades. Um ano após a inauguração, o clube decidiu aceitar sócios contribuintes, assim como sócios-estudantes, com valor de mensalidade inferior.

Deixe um comentário