Engenho Central de Piracicaba

O Engenho Ventral de Piracicaba está incrustado na área urbana, em bairro denominado Vila Rezende. Parte das suas terras foi loteada e as casas e moradias perderam suas funções originais, transformando-se muitas em escritórios e para outras finalidades. Esta propriedade, que com suas construções específicas e equipamentos marcou o início da agroindústria do açúcar em Piracicaba, nos momentos atuais adquiriu novos perfis profissionais e culturais.

Os grandes edifícios, com características de construção inglesa, obedecem aos padrões do functional tradition. Foram os ingleses os primeiros a reestudar os valores arquitetônicos da construção utilitária do século XIX, seguidos pelos franceses.

O emprego dos materiais tradicionais transformou-se por vários motivos, os produtos de olaria e madeiramento são produzidos industrialmente com melhor qualidade. Emprega-se o ferro-gusa. Já em 1789, Goulet experimenta um sistema que dispõe de traves de ferro e pequenas abóbadas de tijolos ocos. A partir daí, a gusa é difundida largamente na construção de edifícios; colunas e vigas em gusa formam o esqueleto dos edifícios industriais e permitem cobrir grandes espaços com estruturas relativamente tênues e não inflamáveis.

Os edifícios industriais do Engenho Central de Piracicaba acabaram por se deteriorar. Seus espaços internos foram esvaziados e o Engenho, em 1989, foi desapropriado e incorporado ao patrimônio público.

Deixe um comentário