Os inesquecíveis Jogos Abertos de 1958

Os Jogos Abertos do Interior foram criados em 1936, em Monte Alto, pelo esportista Baby Barione, que se imortalizou com a sua grande obra esportiva. Em 1958, Piracicaba vivia uma fase de grande desenvolvimento e de vitalidade em todas as áreas sociais, incluindo os esportes. Grandes jogadores de basquetebol, feminino e masculino, encantavam o Brasil e o mundo com seu virtuosismo e suas conquistas. No E.C.XV deCraques do basquetebol Novembro, reunia-se a nata esportiva do interior de São Paulo e também do Brasil, com atletas da estirpe de Pecente, Wlamir, Paula Motta, campeões paulistas, sul-americanos e, depois, campeões também mundiais de basquetebol. No elenco feminino, as imortais Maria Helena, Heleninha, Delcy e suas companheiras.

Naquele ano de 1958 – em que dois piraciabanos, De Sordi e Mazola, se consagraram entre os primeiros brasileiros campeões do mundo de futebol –Piracicaba sediou os 23º Jogos Abertos do Interior. Foi uma festa coletiva que mobilizou todos os setores da sociedade piracicaba, num congraçamento raro de ver-se em nossos tempos. Prefeitura, empresas, escolas, empresários, mecenas esportivos, jovens, população em geral, todos se uniram para a realização da grande festa esportiva. Foi em setembro de 1958, numa repetição mais espetacular do que em 1955, quando a cidade sediou os jogos pela primeira vez.

A Comissão Central Organizadora dos jogos foi presidida pelo bancário Benedito Rebello, figura altamente represntativa da sociedade piracicabana da época. A rainha dos Jogos Abertos foi Marilene Perissinotto, depois casada com o médico, já falecido, Eurotides Vendemiatti. As moças que concorreram ao cetro e se tornaram princesas foram a jogadora Delcy Marques, as jovens Sely Senise, Maria Marisa Abe e Maria Elisa Guerra, que se tornaria a colunista social Meg.

Deixe um comentário