ESALQ: um século de ciências agrícolas em Piracicaba (FINAL)- (XIII)

Alguém já disse que, “para a simples transmissão do conhecimento, não há nenhuma justificativa para a Universidade, depois da invenção da imprensa”.

Como demonstrei, Piracicaba criou conhecimento.

Cumprindo a terceira função da Universidade, a extensão, o processo que põe o homem que tem perguntas em contato com o homem que tem respostas, vem transferindo o conhecimento gerado e o de outros, com as adaptações necessárias, para o agricultor, para a empresa, para a indústria, para toda a cadeia do agronegócio.

Neste particular, destaque para a contribuição escrita.

Destaque particular para os livros escritos e publicados pelos docentes da ESALQ e do CENA: não sei quantos serão (nenhuma lista está disponível). Certamente várias centenas de obras e centenas de milhares de exemplares, e várias edições em vários idiomas: português, inglês, espanhol, hindi, chinês.

São merecedoras de lembranças as duas publicações tradicionais de Piracicaba. A mais antiga, hoje com 75 anos, é a Revista da Agricultura, atualmente sob a direção exigente de Frederico Pimentel Gomes. Os “Anais” da Escola, iniciados em 1944, foram substituídos pela Scientia Agricola, mudança com que não concordei. Sc Agr tem como editor chefe o dedicado Klaus Reichardt, professor titular de Física e pesquisador de renome internacional graças aos seus trabalhos sobre água no solo e física do solo em geral.

Por iniciativa de Aristeu Mendes Peixoto e outros colegas, Piracicaba se lançou com êxito na tarefa temerária de publicar a Enciclopédia Agrícola Brasileira, de que já saíram vários volumes.

Menção especial para a atividade editorial da FEALQ, que tem publicado dezenas de livros e anais de seminários e simpósios.

Um detalhe: todos estes livros têm sido publicados sem ônus para os cofres públicos, o que não é muito comum.

5. Ajuda interna e externa

“Confia em Deus, mas mantem a pólvora seca”

(Provérbio escocês).

“Confia em Alá, mas mantém o camelo amarrado”

(Provérbio árabe).

Tradução em Português: ajuda-te que Deus te ajudará.

A Escola Agrícola Luiz de Queiroz e o CENA tem se ajudado. E tem sido continuamente ajudados por instituições e indivíduos do Brasil e do exterior. Os principais são os seguintes:

5.1 Internos

• Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq) – desde a sua fundação, em 1951. Ajuda: bolsas de estudo para o país e para o exterior; contribuição a projetos de pesquisa individuais e institucionais;

• Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) – a rica FAPESP tem dado o mesmo tipo de auxílio que o CNPq, geralmente com menos burocracia;

• Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) – ajuda para projetos, geralmente institucionais;

• BNDE, hoje BNDES- contribui para equipar a Pós-Graduação, através do FUNTEC, e para projetos abrangentes de pesquisa;

• Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Ensino Superior (CAPES) – auxílio ao ensino, à pesquisa relacionados com a Pós-Graduação;

• Fundação de Estudos Agrícolas Luiz de Queiroz (FEALQ) – desburocratização de auxílios obtidos de instituições oficiais e privadas, mediante convênios guarda-chuva que mantêm com a ESALQ e o CENA.

5.2 Exterior

• Fundação Rockfeller – sem esta a ESALQ dificilmente seria o que é. Ajuda para bolsas de estudos, pesquisa, pós-graduação. A menos burocrática de todas as fontes de ajuda para Piracicaba: a ESALQ nunca escreveu um projeto ou um relatório para a Rockfeller, simplesmente anunciava o que pretendia fazer instalar a Pós-Graduação, por exemplo – e enviava os pedidos

de auxílio. Periodicamente, era visitada por representantes, o primeiro dos quais foi o Dr. Harry. M. Miller Jr, “rusty Miller”, o qual cobria Agricultura e Medicina para ver como iam as coisas e o que era necessário. Um exemplo para instituições brasileiras, como a FAPESP.

• Convênio Ohio State University/USAID – bolsas, professores visitantes, Pós-Graduação. Depois da Rockfeller, sem dúvida a maior contribuição para o desenvolvimento da ESALQ.

• Fundação Ford – auxílio para ensino em pesquisa em Ciências Sociais.

6. Fecho

“Emende e acrescente quem souber e aprenda quem não souber. E todos dêem glória ao Senhor”

(Padre Antonio Vieira)

(FIM)

Deixe um comentário