Miguel Archanjo Benício de Assumpção Dutra, o Miguelzinho Dutra (1)

Miguel Archanjo Benício de Assumpção Dutra, o Miguelzinho Dutra, nasceu em 15/08/1810 em Itu e morreu em 22/09/1875, em Piracicaba. Era filho de Thomaz da Silva Dutra e de Gertrudes Mara da Conceição.

Realizou trabalhos na pintura, escultura, música, entalhamento e arquitetura.

A despeito de sua origem humilde, pode-se afirmar que Miguelzinho Dutra realizou algo inédito, até então, no que tange ao registro de cenas, costumes sociais e históricos,vistas e panoramas de cidades, em tudo imprimindo o olhar e a sensibilidade de um nativo. Suas andanças pelo interior do estado de São Paulo e até mesmo fora dele estão registradas em suas aguadas e nas suas construções.

Autodidata, era artista multidisciplinar (escultor, pintor, ourives, organista, compositor, poeta e literato). Foi o primeiro pintor de cavalete a pintar ao ar livre no Brasil, organizador do primeiro museu do estado de São Paulo, situado na sua casa em Piracicaba.

Crê-se que sua maior contribuição à história paulista e brasileira foram suas 72 aquarelas que retratam vistas, tipos populares, projetos para decoração, festas típicas e paisagens rurais de Itu, Piracicaba e São Paulo. As aquarelas encontram-se hoje no Museu Paulista (Museu do Ipiranga).

Cronologia

• 1810/1844 – Itu SP – Vive nessa cidade

• 1841 – Executa os desenhos que circundam o primeiro mapa da cidade de São Paulo

• 1845/1875 – Piracicaba SP – Transfere-se com a mulher, Francisca de Assis Dutra

• 1845 – Piracicaba SP – A partir desta data, trabalha na construção da Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, fundando irmandade

• 1847 – São Paulo SP – Desenho do pavilhão do Ipiranga, mais antigo documento iconográfico do local. Pertence ao Museu Paulista da USP

• 1853/1855 – Piracicaba SP – Trabalha como arquiteto, marceneiro e entalhador da Igreja Nossa Senhora da Boa Morte

• 1854 – Rio Claro SP – Projeto para a Igreja Matriz de Rio Claro

• 1864 – Rio de Janeiro RJ – Entrega à imperatriz D. Tereza Cristina o oratório de Nossa Senhora da Boa Morte

• 1873 – Piracicaba SP – Inauguração da Capela do Paço do Senhor do Horto, na qual trabalha como projetista e entalhador das portas das imagens e do altar

• 1981 – São Paulo SP – Organização do catálogo Miguel Dutra Poliédrico Artista Paulista, apresentando 52 aquarelas que fazem parte do acervo do Museu Paulista da USP

Exposições Póstumas

1937 São Paulo (SP) – Archimedes Dutra, Alípio Dutra, João Dutra, Antônio de Pádua Dutra, Miguelzinho Dutra e Joaquim Miguel Dutra, no Palácio das Arcadas.

1977 São Paulo (SP) – Individual, no Museu Paulista.

1982 Itu (SP) – Miguelzinho Dutra: aquarelas, na Prefeitura Municipal.

1984 Itu (SP) – Miguelzinho Dutra: aquarelas, na Casa de Cultura.

1988 São Paulo (SP) – A Mão Afro-Brasileira, MAM.

1994 São Paulo (SP) – Um Olhar Críticosobre o Acervo do Século XIX,na Pinacoteca do estado.

2000 São Paulo (SP) – brasil + 500 Mostra do Redescobrimento, da Fundação Bienal.

 Obras

Em 2006, o trabalho de pós-graduação “Miguelzinho Dutra: um artista artesão do século XIX paulista”, de Gabriela Camargo, trouxe como tema a pintura de Miguel Arcanjo Benício de Assunção Dutra. O trabalho buscou fazer um levantamento iconográfico do Estado de São Paulo no século XIX, a partir das obras de Miguelzinho Dutra.

As informações e fotos abaixo são extraídas da apresentação da tese de Gabriela V. C. Camargo:

Deixe um comentário