O Aglomerado Urbano de Piracicaba

Piracicaba. Foto: Paulo Heise

Aglomeração urbana é um conceito de uso relativamente recente no Brasil, já incorporado pelo IBGE em seus últimos levantamentos censitários, e que se refere a uma área urbana relativamente extensa abrangendo vários municípios com a existência de uma cidade principal.

Embora semelhante ao de região metropolitana, o conceito “aglomerações urbanas” serve para designar outros espaços urbanos, situados em nível sub-metropolitano, que congregam mais de uma cidade, notadamente cidades que começariam a experimentar o processo de conurbação.

Apesar do conceito “aglomerações urbanas” ter seu uso recente no Brasil, desde a década de 70 os estudos produzidos por DAVIDOVICH E LIMA (1975) já indicavam o surgimento desse fenômeno urbano. E, na mesma época, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Urbano elaborou um documento intitulado “Evolução da rede urbana no Brasil no período 1970-1980”, que mostrava a existência, fora do âmbito das regiões metropolitanas, de 27 “aglomerações urbanas”. Em 1999, o IPEA, IBGE, e NESUR/IE/UNICAMP, atualizaram as informações relativas às aglomerações urbanas do país, identificando 49 aglomerações, distribuídas entre 12 áreas metropolitanas, 12 centros urbanos regionais, e 25 centros sub-regionais.

Nesses estudos, a região de Piracicaba foi indicada como um grande centro urbano rodeado de municípios periféricos com relações particulares de hieraquização.

Considerando a presença de tantas aglomerações urbanas não metropolitanas o Governo do Estado de São Paulo passou a adotar políticas visando a integração das áreas urbanas. No dia 26 de junho, o governador Geraldo Alckimin, sancionou a lei complementar 11/2012 que cria o Aglomerado Urbano de Piracicaba, aprovado anteriormente por unanimidade pela Assembléia Legislativa.

Piracicaba Foto: Julps

O aglomerado é formado por 22 municípios da região, que passam a ser vistos como uma mesma região administrativa. Farão parte do aglomerado: Águas de São Pedro, Analândia, Anhembi, Araras, Capivari, Charqueada, Conchal, Cordeirópolis, Corumbataí, Elias Fausto, Ipeúna, Iracemópolis, Leme, Limeira, Mombuca, Piracicaba, Rafard, Rio Claro, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Maria da Serra e São Pedro.

 O que muda?

O objetivo principal é o fortalecimento das regiões, a união de forças para melhorar questões relacionadas à mobilidade urbana, transporte público, saúde, infraestrutura e meio ambiente a partir de projetos e ações públicas no âmbito metropolitano. Algumas mudaças a curto prazo será o serviço de telefonia fixa, que deixará de ser interurbano entre as cidades integrantes da região; o transporte público, que será integrado; e as solicitações da população, que passam a ser unificadas e chegam até a esfera estadual e federal com uma força maior.

Cidade Sede: Piracicaba
Fundação: 1º de Agosto de 1767 (245 anos)
População: 364.571 habitantes
Área: 1.377 km2
Gentílico: Piracicabano
Bioma: Cerrado e Mata Atlântica
Temperatura: (ºC) : 37,5 (máxima) / 18 (mínima)
Municípios Limítrofes: Saltinho, Laranjal Paulista, Rio das Pedras, Tietê, Santa Bárbara d’Oeste, Capivari, Limeira, Rio Claro, Iracemápolis, São Pedro, Charqueada, Ipeúna, Santa Maria da Serra, Anhembi, Concha
Altitude: 554m
Distância da Capital: 164km
Economia: Agropecuária (0,94%), Industria (42,36%), Serviços (56,70%), Administração Pública (9,17%)
Fontes: IBGE/UNICAMP/ESALQ/IPPLAP/Prefeitura Municipal/Câmara de Vereadores

Deixe um comentário