A HISTÓRIA QUE EU SEI (XLIV)

Os “laudistas”
João Guidotti, irmão de Luciano e de Luiz Guidotti, era comerciante e esportista de prestígio em Piracicaba. João Guidotti fora presidente do E.C.XV de Novembro por diversas vezes: em 1948 e 1949, de 1951 a 1953, de 1955 a 1956 e estivera também no comando do “Nhô Quim” quando o presidente foi o próprio Luciano Guidotti, em 1958 e 1959, ainda como prefeito. Na realidade, como irá ver-se, o E.C. XV de Novembro sempre foi um ambicionado trampolim para os políticos que, através dele, pretendiam alcançar maior popularidade. Em 1960 e 1961, o presidente do E.C. XV de Novembro era o deputado Bento Dias Gonzaga.

Sendo experiente diretor de clube esportivo, João Guidotti se tomara amigo de Laudo Natel, que fora presidente do São Paulo F.C. e um dos líderes na construção do Estádio do Morumbi. Assim, quando Adhemar de Barros chegou ao Governo de São Paulo, o “guidotismo”, em Piracicaba, ao invés de aderir ao “ademarismo” apoiou-se, tendo João Guidotti como ponte de ligação, no vice-governador Laudo Natel. Essa ligação com Laudo Natel acabou possibilitando que surgisse, em Piracicaba, o Partido Renovador (PR), que agasalhou os principais “guidotistas” e que passou a ter grande influência após a cassação de Adhemar de Barros e a ida de Laudo Natel para substituÍ-Io no governo de São Paulo.

Luciano Ouidotti, com o prestígio que lhe passou a dar Laudo Natel, pôde continuar resistindo aos acenos dos “ademaristas” e do PSP, que haviam instalado, no gabinete de Adhemar de Barros no governo, o jovem f1lho de Luiz Guidotti, José Luiz Guidotti. Parecia que o “guidotismo’ haveria de ter uma divisão em Piracicaba. Mas ele prosperou, com a união cada vez mais sólida entre Luciano e João Guidotti e apesar da posição “ademarista” de Luiz Guidotti.

Deixe um comentário