A HISTÓRIA QUE EU SEI (XXI)

TEMPOS DE LUCIANO – 1956/1959
Luciano Guidotti foi eleito com o apoio da coligação formada por UDN, PTB, PSD e PTN. Os “integralistas” do PRP aliaram-se ao PSP para apoiar Luiz Dias Gonzaga. Luciano Guidotti, por sua vez, contou com o apoio do Governador Jânio Quadros, a quem interessava minar, cada vez mais, as bases “ademaristas” em todo o Estado. Ao assumir a Prefeitura Municipal, Luciano Guidotti tinha uma fortíssima base de apoio na Câmara Municipal, pois a coligação UDN-PTB-PSD-PTN havia conseguido eleger grande maioria, além do fato, que logo se tomaria claro, de o próprio Luciano Guidotti revelar grande habilidade para, à sua maneira, conquistar votos e apoios de vereadores eleitos por legendas adversárias.

Antes de tomar posse, Luciano Guidotti mostrou que tinha prazer no exercício do poder e que não se dispunha a dividi-lo com ninguém. Nem com os partidos políticos.

Ao final de seu mandato, o Prefeito João Basílio enfrentava grandes dificuldades para o pagamento das dívidas do município, principalmente dos funcionários municipais que estavam sem receber há alguns meses. João Basílio batia às portas do Governo do Estado, insistindo para receber a diferença de arrecadação a que Piracicaba tinha direito.

Foi, então, que, pouco antes das eleições, o Governador Jânio Quadros – que saneava as finanças do Estado de Paulo – determinou o pagamento devido aos municípios. Só que o fez através de títulos cujo vencimento ocorreria no ano seguinte, em 1956. João Basílio passou a correr os bancos, em busca de descontos, mas nada conseguia. A crise aumentava. E, então, se descobriu que Luciano Guidotti – com o seu prestígio pessoal e com a força do cargo em que estava para ser empossado fizera pressão para que os bancos não descontassem os títulos do Governo de São Paulo. O que Luciano

Guidotti pretendia – e assim aconteceu – era que os descontos se fizessem com ele próprio já empossado, quando, então, poderia administrar a receita do município à sua maneira.

João Basílio e Samuel de Castro Neves encerraram aquele período debaixo de grande insatisfação popular. E Luciano Guidotti, já nos primeiros dias de seu governo, descontando os títulos do Governo do Estado, podia começar a por a casa em ordem, determinando pagamentos de atrasados, dos salários do funcionalismo público e podendo, assim, iniciar o seu mandato com um ainda maior apoio popular e já com o respeito de ser administrador capaz e competente. Assim, seguro, confiante, Luciano Guidotti iniciou o seu mandato, que foi também, o início de um novo tempo. A seu lado, companheiro leal, equilibrado e discreto, o vice-prefeito Alberto Volet Sachs, escolhido para ser o mais direto e próximo auxiliar de Luciano Guidotti.

No mesmo ano, em 31 de Janeiro de 1956, Juscelino Kubitschek de Oliveira era empossado Presidente da República do Brasil. Seu governo iria transformar ainda mais o país, com profundas e boas conseqüências também para Piracicaba.

Deixe um comentário