Dia de enterro

Dia de enterro

Ir ao cemitério era dia de gala.

O Cemitério da Saudade foi construído no século 19, após grandes debates e disputas, incluindo as de cunho religioso, pois protestantes não podiam ser sepultados no mesmo cemitério de católicos. Houve um caso famoso, do menino Gorg, descendente de alemães protestantes, proibido de ser sepultado no cemitério. Sua causa foi defendida e ganha por Prudente de Moraes, em sua condição de advogado.

O portal do cemitério, criado em 1906, tornou-se um dos monumentos mais belos do Brasil, sendo considerado um dos portais então mais majestosos do mundo. A obra foi projetada pelo arquiteto Serafino Corso e executada por Carlos Zanotta. A foto, de autor desconhecido, tem data provável da primeira década dos 1900, considerando-se os trajes de homens e mulheres. Vestidos formalmente, dão uma imagem do formalismo da época quando “ir ao cemitério” exigia trajes de gala por ser importante compromisso religioso e social.

 

Deixe um comentário