Missão cumprida

Missão cumprida

O DIÁRIO, jornal de causas e de luta contra a ditadura

A história singular do jornal O DIÁRIO (anteriormente, “Diário de Piracicaba”) foi contada, em livro, pelo ex-reitor da UNIMEP, Gustavo Jacques Dias Alvim. Foi sua tese de doutorado em Jornalismo. O DIÁRIO teve, na verdade, um papel fundamental nas lutas pelas liberdades em Piracicaba, desde a sua inauguração, nos anos 1930, sob o comando do advogado e jornalista Jacob Diehl Netto.

O autor destas linhas começou naquele jornal, em 1956, como auxiliar de revisão, vindo a tornar-se proprietário dele na década de 1960, em plena ditadura militar. Foram anos de muita luta, de muitos sofrimentos mas de alegrias sem fim, as de um dever cumprido. As campanhas de O DIÁRIO foram memoráveis, numa oposição ferrenha aos poderes constituídos pela ditadura. Lutas contra a corrupção, contra drogas, contra desmandos, contra arbítrios, além de informações precisas, ousadas e até mesmo com repercussão nacional, como foi o “furo” nacional quando do falecimento do Papa João Paulo I.

A foto, de autor desconhecido, é dos anos 1970, na Rua São José, entre rua Governador e Praça José Bonifácio, últimas instalações do jornal, em prédio onde pai do jornalista construiu e ergueu a Comercial Tuffi Elias, um audacioso projeto arquitetônico de João Chaddad. Naquele lugar, O DIÁRIO despediu-se de suas atividades, fechando após muito sacrifício e pressões político-econômicas. Em O DIÁRIO, formaram-se os principais jornalistas da última geração de profissionais em Piracicaba, quase todos, hoje, militando em grandes jornais do país.

Deixe um comentário