O antigo Mirante

O antigo Mirante

É difícil imaginar, hoje, que um cidadão, por mais rico e poderoso fosse, tivesse a iniciativa de fazer, em sua propriedade, um parque e um mirante como se fossem pedacinhos do céu. Mas isso aconteceu, com o Barão de Rezende, todo poderoso senhor de terras sem fim à margem direita do rio, a atual Vila Rezende. Sanatório, parques, jardins, o mirante, o Engenho Central, toda essa imensidão foi de propriedade do Barão de Rezende, com largos parentescos com outro barão poderoso, o de Serra Negra, da família Conceição.

A foto, de autor desconhecido, é, provavelmente, da década dos 1940. Por muito tempo, após tornar-se propriedade do município, o Mirante foi abandonado, apesar de sempre ter sido um dos orgulhos dos piracicabanos. Foi com o prefeito Salgot Castillon, no final dos1950, início dos 1960, que se deu a grande reforma do local, com as características que ainda permanecem, apesar dos costumeiros e constantes desleixos das administrações municipais. A atual procedeu a alguma reforma, mas a insegurança do local ainda amedronta a população. E, apenas para lembrar: na década de 1930, o grande escritor e crítico literário Sérgio Milliet, olhando a paisagem ao lado do notável intelectual piracicabano Antônio Oswaldo Ferraz, num dia de Inverno, comentou: “Isso me lembra uma paisagem suiça.”

Para se ver, pois, que um povo que desconhece sua própria história acaba por perdê-la.

 

Deixe um comentário