Caso Paulinho: nota oficial XV de Piracicaba

O diretor jurídico do XV de Piracicaba, Rodrigo Boaventura, divulgou uma nota oficial esclarecendo os motivos que levaram o time Búlgaro do Ludogorets a entrar com uma representação contra o alvinegro e o atacante Paulinho.

Boaventura afirmou que o caso está sendo estudado pelo clube e a defesa está sendo elaborada e posteriormente será divulgada. “Nossa intenção, nesse momento, é informar corretamente à imprensa e aos torcedores do XV o que exatamente está acontecendo. Estamos trabalhando no caso e preparando nossa defesa”, disse o advogado.

Nota Oficial:

O PFC LUDOGORETS 1945, TIME DE FUTEBOL DA BÚLGARIA, fez uma Representação na Câmara de Resolução de Litígios, pertencente a FIFA, contra o Esporte Clube XV de Novembro e o jogador Paulo Luiz Beraldo Santos (Paulinho), pelos seguintes motivos:

a) O PFC e o XV fecharam um acordo de empréstimo do jogador Paulinho em 13 de julho de 2012, o período de empréstimo seria de 13 de julho de 2012 até 31 de dezembro de 2012, optando no final do contrato a opção de compra fixada em EUR 525.000,00( quinhentos e vinte cinco mil euros).

b) O Ludogorets solicitou, por intermédio da União Búlgara de Futebol, a emissão de Certificado de Transferência Internacional (ITC), pois o time estava disposto a registrar o jogador para a pré-eliminatória da UEFA Champions League(2012/2013).

c) Paulinho, segundo o clube, deixou a equipe no dia 17 de julho, devolveu o adiantamento, que foi pago no dia 13, e deixou o país sem especificar um motivo justificado para seu retorno.

d) Em 20 de julho de 2012, a União Búlgara de Futebol recebeu uma rejeição para a emissão de ITC do jogador pela Confederação Brasileira de Futebol com a seguinte observação: “o clube do Brasil está rejeitando a transferência“.

e) Em 24 de julho de 2012, a CBF entregou a FIFA uma carta datada de 18 de julho de 2012 enviada pelo XV, declarando que o jogador teve um desentendimento com seu novo empregador e da não adaptação do atleta ao país, ele retornou e, assim, tornou a transferência inútil.

f) Alega o PFC que o XV, após o retorno do jogador, utilizou o profissional para jogar, sabendo que o jogador ainda estava sob contrato de trabalho com o time búlgaro.

g) Diz que, houve uma violação essencial do contrato de trabalho, prejudicando seriamente o Clube e que o XV, usou a situação existente para beneficiar a si mesmo e foi claramente envolvido na decisão do jogador de desrespeitar a sua relação de emprego com o reclamante. Desta forma, o comportamento ilegal dá a Reclamante o direito a uma indenização pelos danos sofridos.

h) O clube Búlgaro pede uma indenização total de EUR 200.000,00(duzentos mil euros) pela violação do contrato, valor a ser atualizado até a decisão final; bem como uma sanção desportiva ao atleta, restrição de seis meses pra jogar e sanção ao XV de registrar novos jogadores, seja nacional ou internacional por 2(dois) períodos de registro.

i) A indenização é solidária entre o jogador e o XV.

Deixe um comentário