30º morcego com vírus da raiva é diagnosticado em Piracicaba

Piracicaba registra mais um caso positivo do vírus da raiva em morcego neste ano. Desta vez, o animal foi capturado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) no bairro Nhô Quim, na Vila Rezende. Com o novo registro, o município contabiliza 30 casos positivos em 2012.

O quiróptero pertence à família Molossidae, espécie Nyctinomops laticaudatus e é de hábito insetívoro, ou seja, se alimenta de insetos. A bióloga do CCZ, Regina Lex, explicou que nesta época do ano, quando a quantidade de insetos é maior no ambiente, é natural que haja aumento da população de morcegos insetívoros nos centros urbanos, tornando maior o aparecimento desses animais caído nas residências ou próximo a elas.

“Com isso, aumenta também a probabilidade de diagnóstico de quirópteros infectados com o vírus da raiva, pois somente esses animais encontrados caídos podem ser recolhidos por estarem suspeitos de estarem doentes”, completou a bióloga.

Os morcegos são animais silvestres, protegidos pela Lei de Crimes Ambientais, sendo proibido matar, caçar ou coletar esses animais no ambiente, ao menos se estiverem suspeitos de estarem doentes. São animais extremamente úteis para o equilíbrio ambiental dentro do seu habitat, mesmo que esse sejam os centros urbanos. Os morcegos insetívoros se alimentam de toneladas de insetos por noite, fazendo o controle desses animais dentro das cidades.

Regina Lex lembrou ainda que é muito importante que os animais encontrados caídos, vivos ou mortos, sejam encaminhados para investigação. “Este procedimento é essencial para um bom trabalho de vigilância passiva do vírus da raiva, pois mostra a conscientização das pessoas quanto à importância de notificação e envio de amostras para serem analisadas para possíveis diagnósticos positivos e um conseqüente e necessário trabalho preventivo na área de ocorrência de circulação de vírus”.

A partir de amanhã (19) os trabalhos de cobertura de foco, como de rotina, acontecerá no bairro Jardim Brasília, conforme previsto para o caso diagnosticado na semana passada. O trabalho no bairro Nhô Quim está previsto para dia 21, sexta-feira. O calendário poderá ser alterado de acordo com intercorrências climáticas.

Todos os animais (cães e gatos) deverão ser vacinados anualmente, porém os que residirem em áreas de ocorrência de raiva em morcegos, e não foram vacinados neste ano, deverão receber a dose de reforço. A vacina é gratuita, disponibilizada em doses individuais e aplicadas em seringas descartáveis.

Para solicitar o recolhimento de morcegos, vivos ou mortos, é preciso entrar em contato com o Centro de Controle de Zoonoses. Porém, caso o animal seja encontrado caído no imóvel, fora do horário de expediente, as orientações são:

– Não tocar no animal.

– Morcego vivo – orienta-se que o morador coloque um balde para cobrir o animal com um peso em cima e no outro dia acione o CCZ.

– Morcego morto – pode ser recolhido com auxilio de uma vassoura e uma pá e armazenado em local seguro até que o CCZ faça o recolhimento.

Serviço

Centro de Controle de Zoonoses

Rua dos Mandis, s/nº.

Bairro: Jupiá

Telefone: 3427-2400/ 3427-2721

Deixe um comentário